Qual a disponibilidade das “xepas” de vacinas pelo Brasil? Confira por cidades

Prefeituras têm aberto cadastros da "xepa" para quem está fora do grupo de risco - Rovena Rosa/Agência Brasil

0
77
São Paulo - Vacinação contra covid-19 aos profissionais da saúde do Hospital das Clínicas, no Centro de Convenções Rebouças.

Diversas cidades pelo país têm organizado o que passou a ser chamado como a “xepa” das vacinas contra a covid-19. Assim, pessoas de fora dos grupos prioritários recebem doses remanescentes nos postos de saúde como forma de evitar o desperdício. A estratégia foi autorizada pelo Ministério da Saúde.

Mesmo com aval do governo federal, a responsabilidade de gestão das doses que sobram a cada dia é dos municípios. Em maio, o Brasil de Fato divulgou que as principais cidades brasileiras ainda adotavam critérios específicos para escolher as pessoas que tomariam as últimas vacinas do dia.

Saiba mais: “Xepa” da vacina: como se candidatar para as doses que sobram nos postos de saúde

Prazo de validade

A maioria dos frascos de vacinas têm 10 doses. Os imunizantes não podem ser guardados depois de abertos, sob risco de perderem a validade. Especificamente, cada vacina possui um tempo de validade depois de aberta.

Os imunizantes da Pfizer podem ser conservad0s por até 6 horas depois de abertos. Já as doses da CoronaVac suportam 8 horas e as da AstraZeneca por 48 horas.

Leia também: Ação de solidariedade a Cuba já arrecadou mais de R$ 200 mil para produção de vacinas

Capital paulista

Nesta quinta-feira (17), a Prefeitura de São Paulo informou que todas as pessoas acima dos 18 anos poderão se inscrever na para aproveitar a “xepa de imunização”. No entanto, a habilitação para receber as doses é feita indo às unidades de saúde no início do dia e se inscrevendo na lista de espera.

Interior paulista

Levantamento feito pela TV Globo aponta que a xepa da vacina também está ocorrendo nas seguintes cidades do interior paulista:

– Diadema;
– Ferraz de Vasconcelos;
– Francisco Morato;
– Franco da Rocha;
– Mauá;
– Mogi das Cruzes;
– Osasco;
– Poá;
– São Lourenço da Serra.

Cada cidade tem um critério próprio para distribuir essas doses remanescentes. Para verificar orientações específicas de seu município, busque o site da secretaria municipal de Saúde ou nas Unidades Básicas de Saúde, preferencialmente por telefone.

Belo Horizonte

Na capital mineira, são selecionadas para a “xepa” apenas as pessoas da próxima faixa etária elegível para tomar a vacina. Para fazer o cadastro, basta acessar o calendário de vacinação no site da prefeitura e clicar no link para cadastro. No final do dia, os profissionais dos postos ligam para pessoas cadastradas e avisam que irão em suas residências aplicar a vacina.

Porto Alegre

A capital gaúcha oferece a “xepa” apenas para gestantes e puérperas, com ou sem comorbidades (mas com indicação médica); pessoas com comorbidades com 18 anos ou mais e pessoas com deficiência permanente com 59 anos ou mais.  A vacinação de Porto Alegre não tem lista de espera ou possibilidade de pré-cadastro.

Rio de Janeiro

Na capital fluminense, estão elegíveis para receber as doses remanescentes as pessoas com comorbidades; com deficiência permanente; com Síndrome de Down; gestantes e puérperas com comorbidades; trabalhadores da saúde e guardas municipais envolvidos nas ações de combate à covid-19; todos dos 18 aos 59 anos.

A Prefeitura do Rio não recomendada que pessoas de fora dos grupos prioritários se aglomerem nas portas das unidades em busca da chamada “xepa”.

Saiba mais: No Rio, “xepa” da vacina não está aberta para toda a população

Outras cidades

Para verificar a possibilidade de receber a vacina da xepa na sua cidade, entre em contato com a secretaria municipal de Saúde, com os postos e unidades de saúde ou com outros canais de contato da prefeitura.