(Foto: O Estado de Minas)

Pode isso 208

Do 247 

Diante do sucesso das manifestações realizadas no dia 29 de maio em todo o País, a reunião da coordenação da Frente Fora Bolsonaro, realizada nesta quarta-feira 2, marcou novos atos por “Fora Bolsonaro”, vacina, emprego e auxílio para o dia 19 de junho.

Os atos serão a continuação da jornada de lutas que acarretaram nas manifestações do dia 29. Participam da frente os principais partidos e organizações da esquerda, como o PSOL, PT, a CUT, UNE, movimentos sociais, entre outras entidades.

Os atos já foram convocados pela União Nacional dos Estudantes (UNE) nas redes sociais. “Dia 19 de junho ocuparemos novamente as ruas de todo o Brasil, e dessa vez será maior! Organize os atos na sua cidade, mobilize assembleias do seu curso e universidades”, escreveu a entidade no Twitter.

A reunião da coordenação da frente também decidiu a convocação de uma plenária, ainda sem data informada, com a participação de lideranças como o ex-presidente Lula (PT), principal nome da esquerda para vencer Jair Bolsonaro nas eleições de 2022.

Defender tratamento precoce ‘é como escolher de qual borda da terra plana vamos pular’, diz Luana Araújo

Do 247

A médica infectologista Luana Araújo afirmou à CPI da Covid que a defesa do tratamento precoce coloca “o Brasil na vanguarda da estupidez mundial”. “Estamos escolhendo de que borda da terra plana vamos pular”, completou. 

“Todos nós somos a favor de uma terapia precoce que exista. Mas se ela não existe, não pode ser tornada saúde pública. Essa é uma decisão delirante e contraproducente”, ressaltou. 

A médica também afirmou que não discutiu a implementação do tratamento precoce contra a Covid-19 com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. “Marcelo Queiroga é um homem da ciência”, disse. “Nunca existiu esse assunto entre nós”, emendou. 

Ainda segundo ela, a discussão sobre o assunto vai de encontro à posição adotada pelos principais organismos mundiais de saúde. “Estamos aqui discutindo algo que é ponto pacificado em todo o mundo”, ressaltou Luana.

“Quantas barbaridades esse homem precisa cometer para Arthur Lira aceitar o impeachment?”, questiona Gleisi Hoffmann

Do 247

“Não há limites para a desumanidade de Bolsonaro! O genocida foi capaz de mandar quem passa fome buscar banco para fazer empréstimos. Ainda disse que não mandou ninguém ficar em casa. Quantas barbaridades esse homem precisa cometer para Arthur Lira aceitar o impeachment?”, questionou a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), que preside o Partido dos Trabalhadores. Em sua fala, Bolsonaro deixou claro que não pretende estender ou ampliar o auxílio-emergencial, bandeira dos partidos de oposição. Deputada defende que Jair Bolsonaro seja afastado, uma vez que já cometeu dezenas de crimes de responsabilidade.

CPI pode abrir nova frente de investigação com foco em Carlos Bolsonaro

Informação da jornalista Bela Megale, do Globo.

O vereador Carlos Bolsonaro, que exerce forte influência sobre o pai e comanda a máquina de fake news do bolsonarismo, pode se tornar o novo alvo da CPI da Covid. “Nesta quarta-feira venceu o prazo para que a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) envie à CPI da Covid informações sobre todos os contratos firmados pelo órgão de janeiro de 2019 a abril de 2020. Para senadores, as informações têm potencial de abrir uma frente de investigação sobre Carlos Bolsonaro, homem forte da comunicação do pai apelidado de ‘vereador federal’ por ser presença constante no Palácio do Planalto”, informa a jornalista Bela Megale, do Globo.

“A principal hipótese levantada por integrantes da CPI é que os contratos com agências de publicidade e outros fornecedores da Secom podem levar a empresas ou pessoas ligadas ao filho 02 de Bolsonaro. O objetivo da investigação é dissecar os dados para apurar também se há vínculos entre prestadores de serviços da Secom com companhias ou pessoas que disseminaram notícias falsas sobre a Covid-19, vacinas e tratamento precoce”, aponta. Como se sabe, o governo de Bolsonaro apostou em cloroquina, remédio inútil e perigoso, e sabotou a compra de vacinas na fase inicial da Covid.

OMS foi ignorada em decisão de realizar Copa América no Brasil

Do jornalista Jamil Chade no UOL.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que em nenhum momento foi consultada sobre a Copa América no Brasil, nem pelo governo de Jair Bolsonaro e nem por parte da Conmebol e CBF. 

A agência mundial tem feito parte do planejamento de diversos megaeventos, como os Jogos Olímpicos e mesmo entrou no debate para a criação de protocolos sobre a Eurocopa, que se disputa neste mês, e outros torneios, informa o jornalista Jamil Chade no UOL.

Nesta terça-feira 1º, Bolsonaro confirmou a realização da Copa América no Brasil, depois que o governo da Argentina vetou o evento por conta da explosão de casos da covid-19. 

Na segunda-feira 31, numa coletiva de imprensa, o diretor de operações da OMS, Mike Ryan, ainda fez um alerta sobre a situação crítica da pandemia na América do Sul. Segundo ele, dos dez países do mundo com maior taxa de mortes por habitantes, quatro são sul-americanos. O temor da OMS é de que uma nova onda atinja a região. “Existem desafios reais”, alertou.

Henrique Meirelles quer ser vice de Lula

Da Revista Fórum

O ex-presidente do Banco Central durante a gestão do ex-presidente Lula (2002-10) Henrique Meirelles, não descarta a possibilidade de se vice na chapa do petista. “Acho que tudo isso é muito prematuro, vai depender, inclusive, da terceira via, do resultado das prévias do PSDB”, diz Meirelles sobre a possibilidade de ser vice do ex-presidente Lula.

Todavia, ele tem dito que o seu objetivo é sair candidato ao Senado por Goiás, mas ainda não há garantia de que estará na chapa do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Porém, de acordo com informações da Folha de S. Paulo, Meirelles tem adotado o tom de campanha e exaltado as realizações dos governos de Lula e também defende o seu trabalho no governo Doria: seus resultados no estado superam os de Bolsonaro. “Eu trabalhei com o então presidente Lula por oito anos, no período em que o Brasil cresceu de forma extraordinária. Por outro lado, estou trabalhando muito bem com o governador Doria”, disse Meirelles ao jornal.