(Charge pode isso 206)

Pode isso 206

Do jornal O Estado de S.Paulo.

Jair Bolsonaro tentou minimizar o esquema do orçamento secreto de R$ 3 bilhões criado em seu governo para beneficiar aliados, mas não descartou a possibilidade de ter havido problemas com o bolsolão. O relato dele foi publicado em reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

“Agora inventaram um orçamento secreto votado pelo Parlamento. Votado pelo Parlamento. Votou secretamente o orçamento, três bilhões… Não são três bilhões depositados lá fora não, está dentro do Orçamento”, disse Bolsonaro a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada. “Se tiver alguma coisa errada, a gente investiga, vai atrás”, afirmou. 

Parte dos recursos do bolsolão seria destinado à aquisição de tratores e equipamentos agrícolas por preços até 259% maiores que os valores de referência.

Conta de luz terá bandeira vermelha e preço vai disparar já em junho

Da Reuters

As contas de luz no Brasil ficarão mais caras em junho, com o acionamento da chamada bandeira tarifária vermelha nível 2, a mais custosa prevista no mecanismo que gera cobranças adicionais quando a oferta de energia no sistema é menor, em meio a uma crise hidrológica histórica no país.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou em comunicado na sexta-feira 28, que a mudança na bandeira, que em maio foi vermelha nível 1, deve-se ao início do próximo mês com os principais reservatórios hidrelétricos “em níveis mais baixos para essa época do ano”.

Na quinta-feira 27, o governo alertou sobre “emergência hídrica” de junho a setembro em 5 Estados, após o período de setembro a maio ter registrado as piores chuvas em 91 anos nas áreas das hidrelétricas.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a abordar a situação de escassez de chuvas em conversa com apoiadores na sexta-feira. “Estamos vivendo uma das maiores crises energéticas do país, crise hidrológica, tem problema”, disse ele, ao comentar que tem preocupações sobre o impacto na geração de energia.

A bandeira tarifária vermelha nível 2 gera custo adicional na conta de luz de 6,243 reais para cada 100 kWh consumidos, segundo a Aneel. Analistas projetam que as cobranças adicionais com a bandeira tarifária devem se manter até o final do ano devido ao quadro climático, que já gera inclusive alerta entre especialistas, que começaram a calcular riscos de suprimento, sob avaliação de que será preciso flexibilizar restrições à operação de algumas hidrelétricas para garantir a oferta.

Felipe Santa Cruz: ‘Exército não pode ser covarde e assistir a anarquia nos quartéis’

Das redes sociais

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, cobrou do Exército providências, após o general Eduardo Pazuello comparecer no domingo 23, em ato político no Rio e Bolsonaro não só tentar blindar o ex-ministro, como também fazer ameaças de golpe.

“Dizem que o exército está diante de uma decisão difícil. Não me parece que seja difícil fazer o óbvio e impedir a anarquia nos quartéis. O futuro irá cobrar a conta dos covardes e oportunistas que assistiram ao bolsonarismo calados”, escreveu ele no Twitter.

O comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, ameaça renunciar ao posto diante da tentativa de blindagem de Pazuello por parte de Bolsonaro. Depois de criar crise militar, Bolsonaro voltou a fazer ameaças de golpe com eventual uso das Forças Armadas para fins políticos.

Kakay vai a Brasília pelo Fora Bolsonaro: “esses fascistas roubaram a esperança”

Do 247  

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, foi neste sábado, aos atos em Brasília contra o governo Jair Bolsonaro e alertou para a necessidade de o País retomar o crescimento econômico, os direitos sociais e implementar políticas de contenção à propagação do vírus. 

“Temos que ter o Brasil de volta. Esses fascistas roubaram à esperança. Mataram 450 mil pessoas. Eu fiz questão de vir de verde amarelo exatamente por isso”, disse o criminalista.

As manifestações aconteceram em mais de 200 locais no Brasil e no exterior também. 

Erika Kokay vai a protesto e faz pedido a Bolsonaro: “tira o teu joelho cruel da garganta do povo brasileiro” 

Das redes sociais

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) publicou no Twitter um vídeo para destacar os ataques de Jair Bolsonaro contra as minorias. “Estamos lutando pela vida, pelos povos indígenas. São os que defendem a educação, a consciência crítica”, disse. “Temos que respirar o ar da liberdade. Queremos respirar. Esse povo vai tirar a faixa presidencial que está no peito estufado do fascismo. (Bolsonaro) tira esse joelho cruel da garganta do povo brasileiro”.

A parlamentar também pediu o fim do “genocídio das ideias, da liberdade, genocídio dos corpos”. “Essa necropolítica é mais intensa para corpos específicos”, continuou. “Esse País será um país livre que irá honrar a Constituição que o genocida quer arrancar do povo brasileiro. Fora Bolsonaro”.

Ao vivo, Natuza Nery enfrenta senador da tropa de Choque de Bolsonaro: “O senhor não vai fazer comigo o que faz na CPI”

Revista Fórum

A jornalista Natuza Nery, da GloboNews, teve que subir o tom contra o senador governista Marcos Rogério (DEM-RO), para fazer com que ele parasse de interrompê-la em uma entrevista ao vivo nesta sexta-feira 28. Ele, que é membro da CPI do Genocídio que apura as omissões do governo que defende no Senado, rebatia as críticas de Natuza por conta do incentivo que fez à manifestação bolsonarista do último domingo 23, no Rio de Janeiro, que causou forte aglomeração. “Ali é manifestação do povo, há garantias constitucionais para isso. Se insurgir contra movimentos democráticos me parece que vai contra a Constituição”, disse o senador.

A jornalista, então, começou a responder, dizendo que “não é isso, senador”, ao que foi interrompida pelo parlamentar. “Se fossem movimentos para pedir o impeachment de Bolsonaro certamente muitos aí estariam aplaudindo”, disse Rogério, que é um dos membros da chamada “tropa de choque” de Bolsonaro no Congresso.

Foi neste momento que Natuza Nery subiu o tom contra o parlamentar: “Senador, não é verdade, o senhor não vai fazer aqui o que o senhor faz na CPI comigo. Não há nenhuma justificativa para defender aglomeração independente da pauta. Não é razoável defender aglomeração com qualquer cor partidária”.

Marcos Rogério seguiu interrompendo a jornalista, afirmando que sua emissora defende outras situações em que há aglomeração e, mais uma vez, Natuza criticou a postura do senador. “O senhor vai me deixar concluir ou o senhor vai fazer comigo o que faz com as senadoras mulheres na CPI? Eu vou concluir, aí o senhor rebate do jeito que o senhor quiser”.