(Charge pode isso 201)

Pode isso 201

DCM/ Essencial

Na semana passada, Ciro Gomes reclamou, após a divulgação do Datafolha que mostrou seus 6%, que não houve simulação de confronto dele contra Lula.

“Curiosamente o DataFolha não simulou um confronto meu com Lula. Por que não o fez? Por que não o faz?”, questionou. A pesquisa Vox Populi divulgada nesta sexta-feira 21, atendeu o desejo do pedetista. Num segundo turno contra o petista, Ciro perderia por uma diferença de 33% (52% de Lula contra seus 19%).

“Pazuello está dizendo que o presidente é um grande mentiroso”, diz Omar Aziz

Do Valor:

Passado quase um mês desde a instalação da CPI da Covid, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, senador Omar Aziz (PSD-AM), fez ao Valor um balanço e projetou para onde, na sua opinião, os trabalhos do colegiado devem seguir. Uma das principais ofensivas deve ser a acareação entre Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, e Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, como forma de esclarecer a verdade em relação às ofertas de vacinas feitas pela Pfizer. No entendimento de Aziz, o militar é o “culpado” pela falta de imunizantes no país, responsabilidade que ainda não é possível estender para Bolsonaro.

“Hoje, se eu tivesse que fazer o relatório [da CPI], o Bolsonaro não fez nada de errado”, explica. “[A culpa] é toda do Pazuello. Não sou eu que estou dizendo. É ele [Pazuello]. O presidente só é mentiroso. E mentir não prende ninguém”, ironizou, ao comentar o depoimento do ex-ministro.

Na conversa, Aziz também defendeu a prorrogação dos trabalhos da CPI, para além dos 90 dias previstos, e que as investigações tentem descobrir quem aconselhou o presidente Jair Bolsonaro a adotar uma conduta heterodoxa na gestão da crise sanitária.

(…) Valor: Com os elementos que o senhor tem hoje, depois do depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, acredita que a CPI caminha para onde?

Aziz: Hoje, se eu tivesse que fazer o relatório, o Bolsonaro não fez nada de errado. Ele fala uma coisa, mas mandava fazer outra. “Olha, não compra a Coronavac”, mas [internamente dizia] “faça a compra”. O culpado é o Pazuello. É o grande responsável por não ter a vacina, por tudo. Ele mesmo está tirando todo o foco do presidente, está trazendo para ele. Quem está mentindo aí?

Valor: É esta a conclusão que se pode tirar por enquanto do depoimento de Pazuello?

Aziz: O presidente não tem culpa de nada. É toda do Pazuello. Não sou eu que estou dizendo. É ele, Pazuello. O presidente só é mentiroso. E mentir não prende ninguém. Esse cidadão [Pazuello] falou isso ontem. Então, tudo que o presidente falar publicamente você tem que duvidar, porque ele vai por trás e mandava o ministro fazer outra coisa. Quem está chamando o presidente de mentiroso não sou eu. É o Pazuello. (…)

Pfizer enviou 10 e-mails cobrando resposta do governo sobre compra de vacinas

Da Folha de S.Paulo

Uma série de emails entregue pela Pfizer à CPI da Covid em caráter sigiloso mostra a insistência da farmacêutica para negociar vacinas com o governo e a ausência de respostas conclusivas do Ministério da Saúde à proposta apresentada pela empresa no meio do ano passado.

De 14 de agosto a 12 de setembro de 2020, quando o presidente mundial do laboratório mandou carta ao Brasil, foram ao menos dez emails enviados pela farmacêutica discutindo e cobrando resposta formal do governo sobre a oferta apresentada.

Segundo os documentos da CPI obtidos pela Folha, a primeira oferta da empresa foi formalizada ao Brasil em 14 de agosto, de 30 milhões e 70 milhões de doses, e tinha validade até o dia 29 daquele mês. Após o envio do documento, a Pfizer mandou emails por três dias cobrando resposta até que uma representante da farmacêutica telefonou para uma técnica da Sctie (Secretaria de Ciência, Inovação e Insumos Estratégicos) do Ministério da Saúde. (…)

A oferta da Pfizer previa início de imunização em dezembro do ano passado, com 1,5 milhão de doses e mais 3 milhões no primeiro trimestre deste ano. O Ministério da Saúde brasileiro só firmou acordo com o laboratório em março de 2021, quando adquiriu 100 milhões de doses —das quais 14 milhões devem ser entregues até junho, e o restante até setembro deste ano. (…)

Bolsonaro diz que Ricardo Salles, investigado pela Polícia Federal, é ministro “excepcional”

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, Jair Bolsonaro disse que Ricardo Salles, que está na mira da Polícia Federal, é um “excepcional ministro”.

A operação da PF revelou suposto esquema de facilitação de contrabando de produtos florestais, entre eles madeira, que seria retirada de forma ilegal da floresta. O ministro do Meio Ambiente participaria da fraude. Salles foi alvo de mandados de busca e apreensão pelos agentes da PF por seu possível envolvimento no esquema.

Brasil perde oportunidades por causa de ‘gente muito antipatriota’, diz representante chinês

Fonte: UOL

O presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China (CCIBC), Charles Tang, afirmou que o Brasil está perdendo oportunidades de negócios com o país asiático por causa de “muita gente que não é patriota”. Segundo ele, empresas brasileiras podem sofrer retaliações semelhantes às da Austrália em função dos frequentes ataques contra a China feitos por Jair Bolsonaro e outros integrantes do governo. 

“O Brasil precisa da China da mesma forma que a Austrália precisa do mercado chinês. Nações não têm amizades, mas interesses, e é dever de um governo defender os interesses do país. Mas aqui no Brasil há muita gente que não é patriota, pessoas que vão contra os interesses do Brasil”, disse Tang em entrevista ao UOL. 

“Veja a guerra comercial que está havendo entre China e Austrália. O vinho australiano sofreu 250% de taxação, fechando o mercado chinês que era o maior comprador do vinho australiano. Os grãos australianos sofreram 80% de taxação. Esse tipo de problema pode acontecer com o Brasil também se continuar atacando a China. Isso não ajuda”, ressaltou.

Roberto Jefferson diz que usa arma contra Estado “satanista” que promove o “gayzismo”

Em vídeo publicado nas redes sociais, Roberto Jefferson voltou a posar com uma arma e dizer que vai lutar contra as conspirações que cria na própria cabeça.

Citando a segunda emenda da Constituição americana, que fala sobre a garantia do porte de armas pela população, ele disparou:

“A arma é um instrumento de defesa até contra gente do Estado. Esse Estado totalitário que está no mundo, opressor, comunista, ateu, marxista, hedonista, imoral, satanista, que quer destruir todos os valores cristãos, para uma sociedade de baderna, sexo solto, abusando de criança, fazendo gayzismo”.