(Charge pode isso 187)

Pode isso 187

Da CNN Brasil

Cozinhar para fazer para a família o prato mais tradicional da mesa dos brasileiros – arroz, feijão, carne, ovo, batata frita e salada– está, em média, 23% mais caro que há um ano.

É o que aponta levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas (FGV), que calculou qual foi o aumento dos dez principais alimentos que compõem o “prato feito” brasileiro em 12 meses. A conta considera as variações até março de 2021 capturadas pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculado pela FGV.

Os principais responsáveis pelo aumento forte são, também, os principais ingredientes: o arroz, que subiu 61%, e o feijão, que subiu 69%, no caso do feijão preto. O feijão carioca, por sua vez, subiu 20%.

As carnes também não estão ajudando muito: a alta nos preços das carnes bovinas foi de 27,2% e do frango, de 13,9%. O ovo está 10% mais caro que há um ano. A batata subiu 19% e a cebola, 40%. O único alívio vem tomate, que está em queda de 24%.

General Ramos diz ter tomado vacina “escondido” para “não criar caso”: “quero viver”

Do 247 

O ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, disse já ter sido vacinado contra a Covid-19, mas o fez “escondido” porque o Palácio do Planalto e Jair Bolsonaro não queriam “alarde”, segundo a CBN.

Declaração foi dada durante a reunião do Conselho de Saúde Suplementar na terça-feira 27, mesma ocasião em que o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a China “inventou o vírus”.

Como se tivesse feito algo de errado, Ramos argumentou ter tomado a vacina porque quer “viver” e o imunizante é o que a ciência recomenda como melhor proteção contra o coronavírus. “Tomei escondido, né, porque a orientação era para não criar caso, mas vazou. Eu não tenho vergonha, não. Tomei e vou ser sincero. Como qualquer ser humano, eu quero viver, pô. E se a ciência está dizendo que é a vacina, como eu posso me contrapor?”.

Guedes diz que não foi a pandemia que “quebrou” o SUS, e sim o aumento da expectativa de vida

O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez uma fala infeliz na terça-feira 27, ao dizer que não foi a pandemia a responsável pela incapacidade do setor público em atender adequadamente a população no que diz respeito à saúde. A questão, segundo ele, foi o “o avanço na medicina” e “o direito à vida”.

Para o ministro, o Estado “quebrou”. A afirmação foi feita durante reunião do Conselho de Saúde Complementar, mesma ocasião em que Guedes disse que a China “inventou o vírus” da Covid-19.

“Todo mundo quer viver 100 anos, 120, 130”, declarou, em tom de crítica ao aumento da expectativa de vida. Segundo o ministro, “não há capacidade de investimento para que o Estado consiga acompanhar” a busca crescente por atendimento médico.

Que gente é essa???”, diz Míriam Leitão sobre chefe da Casa Civil e Guedes

Das redes sociais

O ministro-general Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil, declarou na terça-feira 27, que tomou a vacina contra a Covid-19 escondido para “não criar caso”. A revelação foi feita durante reunião do Conselho de Saúde Suplementar, a mesma em que o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que “o chinês inventou o vírus” e a “vacina dele é menos eficiente que a do americano”.

Indignada, a jornalista Míriam Leitão, do Globo, foi às redes sociais e questionou:

“O chefe da Casa Civil admite que tomou vacina escondido, o ministro da Economia diz que a China inventou o vírus e critica o aumento da expectativa de vida. Que gente é essa???”

A gente que você ajudou a colocar lá!

Líder da Frente Parlamentar Brasil-China diz que Paulo Guedes é “fanfarrão” e deveria ser demitido

Fonte: Folha

O deputado Fausto Pinato (PP-SP), líder da Frente Parlamentar Brasil-China, afirma que o ministro da Economia, Paulo Guedes usa “narrativa cretina bolsonarista” ao atacar o maior parceiro comercial do Brasil.

A Frente Parlamentar Brasil-China na Câmara avalia que “qualquer governo sério demitiria imediatamente o ministro fanfarrão chamado Paulo Guedes” após o comandante da Economia afirmar, sem saber que estava sendo gravado, que “o chinês inventou o vírus” da Covid-19, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo.

Militares ficam constrangidos com áudio de Ramos e lembram de general patrono do Serviço da Saúde

Do Blog de Octaviano Guedes no G1:

O áudio vazado do general Ramos, confessando que havia se vacinado escondido, constrangeu militares. Um oficial da ativa sugeriu que o blog pesquisasse sobre o general Severiano da Fonseca, irmão de Deodoro.

O general de brigada João Severiano da Fonseca enfrentou duas crises sanitárias no campo de batalha. Participou de toda a Campanha da Tríplice Aliança, protegendo a tropa das epidemias de varíola e cólera. Ganhou a guerra, virou herói e hoje é o patrono do Serviço da Saúde do Exército brasileiro.

O general Ramos, ministro da Casa Civil de Bolsonaro, enfrenta uma crise sanitária, a da coronavírus, de seu gabinete. Luta pelo governo que perdeu a guerra da pandemia e está preocupado em proteger o chefe do vírus. Tomou vacina escondido. (…)

Marco Aurélio manda governo Bolsonaro realizar Censo de 2021

Do Globo

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou ao governo federal “a adoção de medidas voltadas à realização do Censo”. Ele atendeu pedido feito pelo governo do Maranhão. Na semana passada, o Ministério da Economia informou que a realização do Censo em 2021 estava cancelada devido aos cortes de verba.

Na aprovação do Orçamento de 2021, a pesquisa perdeu 96% de sua verba, que foi reduzida de R$ 2 bilhões para R$ 71 milhões.

Em sua decisão, Marco Aurélio avaliou que deixar de fazer o censo representa descumprir um trecho da Constituição: “A União e o IBGE, ao deixarem de realizar o estudo no corrente ano, em razão de corte de verbas, descumpriram o dever específico de organizar e manter os serviços oficiais de estatística e geografia de alcance nacional – artigo 21, inciso XV, da Constituição de 1988. Ameaçam, ao fim, a própria força normativa da Lei Maior.” (…)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui