(Charge Pode Isso 180)

Pode isso 180

Do 247 

A anulação dos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vinha sendo defendida pelos maiores juristas do Brasil e do mundo, não foi digerida pelo jornal Estado de S. Paulo, que está em crise econômica há mais de uma década e é mantido pelo sistema financeiro. O editorial deste domingo ataca o Supremo Tribunal Federal, assim como tem sido feito por bolsonaristas radicais.

“A dificultar a confiança da população na Justiça, o plenário do STF entendeu que a 13.ª Vara da Justiça Federal de Curitiba não é competente para julgar as ações penais envolvendo o ex-presidente Lula, mas ainda não sabe qual é o foro competente: se é a Justiça Federal do Distrito Federal ou a de São Paulo”, aponta o texto. “É simplesmente impossível que o Judiciário consiga, com esse modo de atuar, exercer sua função de pacificar os conflitos sociais.”

Bolsonaro prepara a demissão de Guedes para o segundo semestre, diz Lauro Jardim

De O Globo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, será demitido no segundo semestre deste ano, diz o colunista Lauro Jardim. A troca será feita sem alarde, e após a aprovação de alguma reforma econômica, para que Guedes possa sair cantando vitória, aponta o jornalista, em sua coluna deste domingo. Desde que assumiu a economia, Guedes não trouxe resultados positivos: o desemprego é recorde, a dívida interna cresceu, o real se desvalorizou e grandes empresas estão fechando suas fábricas no Brasil.

TCU aponta “graves omissões” de Braga Netto no combate à pandemia

Do 247

Relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) acusa o ministro da Defesa, general Braga Netto, de “graves omissões” no combate à pandemia da Covid-19 e de “não ter contribuído da forma que seria esperada para a preservação de vidas” quando ministro da Casa Civil e coordenador do Comitê de Crise do governo federal.

A Corte mira também mira o militar Heitor Freire de Abreu, atual coordenador do comitê. Segundo o documento, ele também não contribuiu “da forma que seria esperada para a preservação de vidas”.

A relatoria do processo é do ministro Vital do Rêgo, que considera se vai acolher a sugestão.

Pesquisa de universidade alemã aponta: 1 a cada 7 brasileiros tem fome

Do Metrópoles:

Mais da metade dos brasileiros (59,3%) não se alimentam em quantidade e qualidade ideais, desde o início da pandemia. São 125,6 milhões de pessoas que têm comido o que podem, não o que querem. Os dados, revelados na última semana, são resultado de um levantamento realizado pelo Grupo de Pesquisa Alimento para Justiça: Poder, Política e Desigualdades Alimentares na Bioeconomia, sediado na Universidade Livre de Berlim, com a participação de pesquisadores brasileiros.

A mesma pesquisa indica que, dos 125,6 milhões, pelo menos 31 milhões, ou 15% dos brasileiros, vivem situação de insegurança alimentar grave – o nome acadêmico da fome.

Esse contingente de pessoas sem comer tem crescido, em comparação com levantamentos recentes. Segundo a última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), eram 36,7% dos brasileiros que enfrentavam algum grau de insegurança alimentar, entre 2017 e 2018

É uma diferença de 23 pontos percentuais em relação ao resultado da pesquisa realizada em 2021 pelo grupo Alimento para Justiça. Naquela época, consoante informações do IBGE, eram 10,7 milhões de brasileiros vivendo na insegurança alimentar grave. Três anos depois, o número chega aos 31 milhões de pessoas com fome no país. (…)

Menor e menos abrangente do que o do ano passado, quando foram repassados R$ 295 bilhões no total, o novo auxílio emergencial tem R$ 44 bilhões para distribuir a cerca de 40 milhões de famílias. Como mostram as pesquisas, o repasse tem sido insuficiente para barrar o avanço da fome no país.

Evangélicos já começam a abandonar Bolsonaro

A gestão da pandemia do novo coronavírus tem provocado fissuras na base formada por líderes religiosos que apoiam o presidente Jair Bolsonaro. Alguns pastores evangélicos que votaram nele há dois anos já falam em terceira via para as eleições de 2022, enquanto outros admitem que o apoio ao Bolsonaro persiste apenas para evitar a volta do PT ao poder. Nem o empenho do governo federal para manter templos abertos durante a crise sanitária melhorou o humor de parte de sua base. A reportagem é do jornal O Globo. 

A redução do entusiasmo com o mandatário começou a ficar clara em 29 de março, quando Bolsonaro fez uma convocação para um “dia do jejum”. No ano passado, 36 líderes evangélicos gravaram um vídeo em que atendiam “à proclamação santa feita pelo chefe supremo da nação”. Este ano não houve vídeo. A cerimônia, realizada no mesmo dia em que foi anunciada a troca de seis ministros, teve a presença de três lideranças.

Líderes evangélicos ainda apoiam Bolsonaro com o objetivo de evitar a volta do PT à Presidência, na opinião do pastor batista Carlito Paes, líder da Igreja da Cidade de São José dos Campos.

Parte do PDT se anima com Lula candidato e Lupi diz: “vamos de Ciro”

De Amanda Almeida na Coluna de Lauro Jardim no Globo.

Discretamente, parlamentares do PDT, especialmente do Nordeste, têm revelado entusiasmo com a volta de Lula ao páreo.

Enquanto monitoram os colegas e assistem ao flerte entre PT e PSB, outros pedetistas, porém, dizem que não querem ouvir falar no assunto e que sairiam do partido caso haja reaproximação eleitoral com os petistas.

Carlos Lupi, presidente da sigla, é categórico: “Vamos de Ciro. Quem diz o contrário não conhece o PDT”. (…)

Pastor detona Bolsonaro: “Não vou entrar nessa mentira”

Das redes sociais

 “Quem não deve, não teme CPI. Não precisa manipular governador, não precisa manipular nada”, diz o pastor Paulo Marcelo em áudio de WhatsApp enviado ao apóstolo Agenor Duque.

Citando as drogas ineficazes do kit covid e a sabotagem às máscaras e ao isolamento social, ele diz que a CPI ocorre porque o presidente e seus ministros “fizeram tudo errado” na pandemia.

“Aonde existe esse comunismo que querem vender no Brasil?”, prossegue, criticando fake news.

O pastor diz que a Igreja Evangélica está “destruindo em dois anos” tudo que ela já construiu.

“Quem estiver participando da defesa dele agora pagará o preço pelo resto da história da igreja no Brasil”.

“Ou eu vou para o céu, ou eu vou para o inferno. Eu não vou entrar nessa mentira, eu vou me posicionar”, completa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui