Maiores problemas foram nos bairros Progresso e Fundo Canoas. Cinco mil unidades ficaram sem energia elétrica

A chuva e o vento no final da tarde da quinta-feira 16, causaram problemas em pelo menos nove locais em Rio do Sul. A Defesa Civil registrou quatro casas destelhadas no Bairro Fundo Canoas, sendo três na Rua Augusto Munzfeld e uma na Rua Guido Vota. Na Rua Pomerode, no Bairro Canta Galo, uma família preferiu passar a noite na casa de amigos por conta da queda de parte da cobertura da garagem. Apesar do susto, ninguém ficou ferido e os moradores puderam retornar à casa na manhã dessa sexta-feira.

Duas casas também tiveram o telhado danificado nas ruas Mafalda Ligner Porto e Garuva, no Bairro Progresso. Ainda no Fundo Canoas, a sede campestre da CDL teve prejuízos por conta do destelhamento. A cobertura de um posto de combustíveis no Bairro Fundo Canoas também caiu parcialmente. Não há registo de feridos por conta de todos os eventos.

O departamento de Obras da prefeitura foi acionado para auxiliar no corte de duas árvores que caíram sobre as ruas nos bairros Fundo Canoas e também no Laranjeiras. No Bairro Taboão houve deslizamento de terra.

A Fundação Cultural de Rio do Sul precisou cancelar a apresentação de alunos da Estação Cultural da Barra do Trombudo por conta da falta de energia elétrica. A mostra de talentos será remarcada. A Celesc informou que cerca de cinco mil unidades de Rio do Sul ficaram sem energia elétrica por algum período. Os funcionários trabalharam durante toda a noite para reestabelecer o serviço que ainda está com problemas em municípios vizinhos.

Os prejuízos foram causados na quinta-feira 16, pela chuva e o vento, com registro de pico de 54,7 km/h, na Ponte Dom Tito Buss, entre o Canta Galo e o Jardim América. A chuva acumulada desta quinta-feira foi de 35,6 mm.

A Defesa Civil salienta o número de ocorrências pode ter sido bem maior já que muitos moradores não informam a situação ao órgão. Em casos de emergência, é possível ligar para o telefone 199.