SINSPURS vai realizar assembleia para elaborar a Pauta de Reivindicações 2018

0
1189

Sindicato organizou a categoria por local de trabalho para aumentar a representatividade e a participação de todos os servidores

“Em nome do SINSPURS quero parabenizar os servidores pelo seu dia e dizer que nossa categoria precisa cada vez mais estar organizada, animada, unida, e participando para defender as conquistas e tudo o que é justo e de direito. O Sindicato somos todos nós!”, Marilene Back Espíndola, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio do Sul e Região (SINSPURS).

“Convidamos a todas as servidoras e servidores de Rio do Sul para participarem da assembleia dia 31 de outubro, às 19 horas, no salão paroquial da Igreja São José Operário, da Rua XV de Novembro. Ressaltamos que é importante a participação de todos para fortalecer a categoria, juntar forças e definir cada item da Pauta de Reivindicações 2018 com os servidores presentes na assembleia”, completou Marilene.

Marilene lembra que além da pauta do ano que vem, têm 23 itens da pauta que foi apresentada aos candidatos a prefeito durante as eleições do ano passado. “Até agora a atual gestão não colocou nenhum dos itens em prática. Vários itens não trarão custo maior para a municipalidade, mas vão atender questões de humanização”, salientou a presidente do SINSPURS.

Desde 2010 os servidores de Rio do Sul estão sem ganho real

Uma das maiores preocupações do SINSPURS é a reposição salarial, que desde 2010 apenas é repassado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Em todo esse período os servidores municipais de Rio do Sul não têm ganho real e o INPC dos últimos 12 meses, divulgado em setembro, foi de 1,62%. “Como fica a situação dos servidores sabendo que a arrecadação aumentou? repassar só o INPC não é justo”, questiona e afirma Marilene.

Setores da prefeitura poderão parar em protesto

A SINSPURS informa a comunidade que setores da prefeitura podem parar suas atividades nos próximo dias. Um exemplo é o setor de Obras, onde o Sindicato já realizou uma reunião com o setor e as representantes do local de trabalho, Adriana Luncek Ramos e Zuleica Metzger. No dia 9 de novembro o setor volta a se reunir para analisar e decidir se aceita ou não as mudanças que serão apresentadas. Dependendo do que for apresentado o setor de Obras poderá fazer paralisação/greve.

Marilene explica que o descontentamento e as demandas atingem todos os servidores. “Cada setor, cada especialização têm uma grande demanda. Mas o que se percebe, o que os servidores estão manifestando, é de que o governo municipal está querendo mais tirar do que preservar, equiparar ou garantir novos direitos. Escutamos todas as representações por local de trabalho. Podemos citar como exemplo, além do pessoal do setor de Obras, as agentes de saúde, engenheiros, arquitetos e todos. Foi por isso que criamos as representações por local de trabalho, para ouvir todos os servidores”, finalizou Marilene.

Marilene lembrou das reivindicações entregues aos candidatos a prefeito de Rio do Sul em 2016 (Foto: Aurio Gislon. Arquivo do Jornal O Riossulense)