Delação do fim do mundo atinge Santa Catarina

0
1107

Quatro parlamentares do Vale do Itajaí envolvidos nas delações da Odebrecht

A relação é realmente impactante. Envolve senadores do PSDB, do PMDB e do PT, ministros do governo Temer e parlamentares de diferentes partidos, entre elas, deputados e senadores que defenderam de forma radical Dilma e Lula e aqueles que também atacaram de forma contundente os dois ex-presidentes.

A inclusão dos quatro parlamentares do Vale do Itajaí tende a repercutir de forma impactante nas eleições gerais de Santa Catarina no próximo ano.

As delações premiadas do grupo Odebrecht, liberada nesta terça-feira 11, pelo ministro Edson Fachin, destaca quatro políticos de Santa Catarina, todos de Blumenau. São eles o senador Dalirio Beber e o prefeito Napoleão Bernardes, ambos do PSDB, o deputado federal Décio Lima e a deputada estadual Ana Paula Lima, do PT.

Reação

O prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, do PSDB, foi o primeiro a manifestar-se “perplexo” com a inclusão de seu nome. Fez questão de se antecipar, dizendo que a primeira vez que teve algum contato com dirigentes da Odebrecht Ambiental, que tem contratos com a prefeitura de Blumenau, foi logo após sua posse, em março de 2013.

E fez questão de salientar que a única decisão administrativa que tomou envolvendo o grupo empresarial foi contrário aos interesses da Odebrecht, um aditivo que até agora depende de aprovação.  

O senador Dalírio Beber, também do PSDB, rebateu a denúncia com veemência e disse esperar que a verdade seja restabelecida.             

A “Nota de Esclarecimento”, divulgada pela Assessoria, tem o seguinte teor:

“Recebo com surpresa a inserção do meu nome no rol dos investigados. Não tive, até o presente momento, qualquer acesso ao processo para conhecer o conteúdo do que me é atribuído. Rechaço com veemência toda e qualquer denúncia de prática de ilícitos.

Estou indignado, mas absolutamente tranquilo, pois minha consciência em nada me acusa.  

Digo à sociedade brasileira, em especial, aos Catarinenses, que sempre confiaram em mim, que espero que rapidamente a verdade seja restabelecida.

Neste momento, coloco-me inteiramente à disposição da Justiça.”

O deputado federal Décio Lima e a deputada estadual Ana Paula Lima, sua mulher, ambos do PT, liberaram nota de conteúdo semelhante, informando que receberam a notícia com tranquilidade, que não são réus, enfatizando o histórico da vida pública com ética e lisura.

A “Nota à Imprensa”, assinada por Décio Lima, tem o seguinte teor:

“Em relação a menção do meu nome nas investigações do Supremo Tribunal Federal, recebo com tranquilidade, uma vez que confio que a verdade prevalecerá e a justiça será feita.

Declaro que sou o maior interessado no esclarecimento de toda esta situação. É importante destacar que não sou réu e nem investigado em nenhum processo da Lava Jato.

A minha vida pública sempre foi pautada pela ética, lisura e transparência e a minha história demonstra a preocupação com a legalidade de todos os meus atos. Décio Lima (PT/SC)- Deputado Federal.”      

A “Nota à Imprensa”, da deputada Ana Paula Lima, diz:

“Em relação a citação do meu nome nas investigações do Supremo Tribunal Federal declaro serenidade e estou à disposição das autoridades competentes para prestar todos os esclarecimentos. Afirmo que não sou ré e nem investigada em nenhum processo da Lava Jato. Afirmo que as doações à minha campanha eleitoral foram declaradas e aprovadas pelos órgãos competentes, e que minha conduta pública é regida pelos princípios da ética, moral e legalidade. Ana Paula Lima-Deputada Estadual (PT/SC)  Fonte: Blog do Moacir Pereira – DC

Outros envolvidos

São 74 inquéritos envolvendo 98 políticos no Supremo Tribunal Federal (STF), que o ministro Edson Fachin mandou investigar. Ele, também, deu andamento, por meio de petições, aos casos de outros nomes citados nas delações de executivos da Odebrecht e que devem ser analisados por outras instâncias da Justiça. Entre eles, está o governador Raimundo Colombo (PSD).

Dalírio e Colombo na lista da Odebrecht

 

Além do governador, a ex-senadora Ideli Salvatti (PT) e outros quatro políticos de Santa Catarina terão pedidos de investigação analisados em diferentes instâncias da justiça. O caso que envolve o deputado estadual Jean Kuhlmann (PSD) também terá foro diferenciado.

As petições remetidas a outros foros

Carlito Merss e Ideli Salvatti – Ex-prefeito e ex-ministra (PT) – PET 6754 – Justiça Federal de SC

Jaison Cardoso Souza (PSDB) – Ex-prefeito de Imbituba – PET 6670 – Justiça Federal de SC

Jean Jackson Kuhlmann (PSD) – Deputado estadual – PET 6858 – TRF da 4ª Região

João Raimundo Colombo (PSD) – Governador de SC –PET 6762 – STJ

Roberto Carlos de Souza (PSDB) – ex-prefeito de Navegantes – PET 6825 – Justiça Federal de SC

O que dizem os citados

Carlito Merss (PT) –  Ainda não se pronunciou.

Ideli Salvatti (PT) – A ex-ministra Ideli Salvatti afirma que teve conhecimento da existência dessa petição de encaminhamento à Justiça Federal de SC pela imprensa. Por isso, não teve acesso ao conteúdo para se pronunciar. Afirma que está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos.

Jaison Cardoso Souza (PSDB) e Roberto Carlos de Souza (PSDB) – O presidente estadual do PSDB, deputado estadual Marcos Vieira, diz que não tem conhecimento de nenhum filiado envolvido na lista divulgada ontem. Os citados ainda não se pronunciaram.

Jean Jackson Kuhlmann (PSD) – “Recebo com surpresa a informação de que meu nome consta em petição remetida para o 4º TRF, referente às investigações divulgadas nesta terça-feira pelo Supremo Tribunal Federal. Jamais tratei de qualquer assunto relacionado a campanhas eleitorais, e sobretudo recursos para campanhas, com empregados e executivos e empresas citadas, tampouco conheço qualquer um deles. Minhas contas eleitorais sempre foram aprovadas e apresentadas dentro do rigor que exige a Justiça Eleitoral, e dentro da transparência pela qual sempre pautei minha trajetória. Confio no bom trabalho da Justiça, e tenho certeza que as investigações irão mostrar a verdade dos fatos. Meu maior interesse é que essa situação seja esclarecida, o quanto antes.”

João Raimundo Colombo (PSD) – “Conforme foi informado desde a primeira vez, a empresa Odebrecht não tem nenhum contrato, obra ou projeto com o Governo do Estado de Santa Catarina, não tendo sequer participado de licitações desde o início da atual administração em janeiro de 2011. O Governo do Estado aguarda a abertura do sigilo das informações para prestar todos os esclarecimentos cabíveis.”

Fonte: Diário Catarinense