PT realiza eleições de seus novos dirigentes neste domingo

0
811

“É um passo na consolidação do projeto que assegure protagonismo do partido na disputa eleitoral de 2018”, afirma Dresch

Filiados ao Partido dos Trabalhadores participam neste domingo 9, do Processo de Eleições Diretas (PED) da sigla. Eles votarão na chapa de delegados estaduais, presidente municipal e chapa do diretório municipal. O voto é secreto e a votação acontecerá em 182 municípios catarinenses, das 9 às 17 horas.

Em todo o Brasil, 1,6 milhão de petistas em mais de 4 mil cidades estão aptos a votar. “É a democracia interna do partido que possibilita a renovação e organização partidária. Também é um ato de resistência, de enfrentamento, de fortalecimento do PT na luta pela democracia e na consolidação da construção de um projeto que assegure o protagonismo do partido na disputa eleitoral de 2018”, afirma o deputado Dirceu Dresch, líder do PT na Assembleia Legislativa.

Em todo o Brasil, 1,6 milhão de petistas em mais de 4 mil municípios estão aptos a votar para escolher o presidente municipal, a chapa para o diretório municipal e a chapa de delegados que participarão do 6º Congresso Estadual do PT. O congresso acontecerá em maio e elegerá o presidente estadual da sigla e os delegados que participarão do congresso nacional do partido, que acontecerá em junho e elegerá o presidente nacional do PT.

Em Santa Catarina estão inscritos 197 candidatos a presidente municipal, 4073 filiados estão inscritos em chapas de diretório municipal e 1806 lideranças estão inscritas em sete chapas para delegados do Congresso Estadual do Partido.

PT na Vanguarda –  O deputado também destaca o protagonismo do PT na adoção de instrumentos que fortalecem a democracia partidária. “Somos o único partido a realizar eleições diretas para escolha dos dirigentes e, a partir desta legislatura, a definição de apenas três mandatos no mesmo cargo eletivo, como vereador ou deputado federal e estadual”, destacou Dresch.  Ele enumerou outras regras do PT, a paridade entre homem e mulher nas direções e uma cota mínima de 20% para jovens. “Muito do que se quer em uma reforma política o PT já faz a muito tempo.