Crime sem solução: faz um ano que Ana Beatriz foi morta

0
1672

Perícias das mais sofisticadas e a utilização das mais diversas linhas de investigação, contudo a morte da adolescente continua um mistério

Na manhã da quinta-feira, 3 de março de 2016, encontrada morta dentro de um contêiner de uma empresa de banheiros químicos em Rio do Sul, o corpo da adolescente Ana Beatriz Schelter, de 12 anos. Ela tinha sido vista pela última vez por parentes quando deixava a casa da família para ir à escola.

Em 2 de março completa um ano que Ana Beatriz foi brutalmente assassinada e, sem solução, inquérito permanece sobre a mesa do delegado Almiro da Costa, responsável pela investigação.

“Todas as perícias, das mais simples a mais sofisticada, foram realizadas, mas nenhum indício foi encontrado no corpo da jovem. Seguimos, as mais diversas linhas de investigação, mas a morte da adolescente continua um mistério”, lamenta o delegado.

Passeata no ano passado envolveu a comunidade escolar do Henrique Fontes (Foto: Aurio Gislon/JAV Online)

De acordo com o delegado Almiro da Costa, da Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul, o inquérito vai permanecer sobre sua mesa. “Não deixamos de investigar. A família de Ana Beatriz vinha quase todos os dias aqui, agora aparecem mais raramente, mas continuamos em busca de pista que leve ao autor ou autores do bárbaro crime”, reforça Dr. Almiro.

Manifestando desconforto pela falta de solução, afirma “todas as hipóteses pelo crime continuam sendo investigadas” — disse o delegado à reportagem do JAV Online, nesta terça-feira 21.

As autoridades continuam solicitando à população a colaboração. Se alguém tiver qualquer indício, qualquer pista que possa levar a solução deste crime hediondo pode denunciar anonimamente ao Disque Denúncia 181. Lembre-se! Você não precisa se identificar.