Entidades repudiam lei contra esmola em Rio do Sul

Projeto de lei aprovado na câmara de vereadores de Rio do Sul causou indignação

0
98460

O Fórum das Entidades do Campo e da Cidade do Alto Vale do Itajaí realizou planejamento de suas atividades no dia 19 de fevereiro deste ano. Entre os encaminhamentos ficou aprovado que no dia 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, lideranças vão distribuir panfletos em cidades da Região, sobre as lutas das mulheres por respeito, dignidade e liberdade. Em Rio do Sul será realizada também a distribuição de sapatos doados em locais de movimentação e de acesso, com frases de conscientização. Campanha “Sapatos Falantes”.

Durante o planejamento do Fórum foi criada uma comissão de Comunicação, assumida por jovens, com apoio de profissionais de comunicação. Esta comissão já está atuando e criou uma página no Instagram. Também elaborou uma nota de repúdio ao projeto de lei n° 96, de autoria da vereadora Danielle Zanella, determinando que o município use dinheiro público em campanha que desestimula a doação de esmolas às pessoas em situação de vulnerabilidade e pobreza. O projeto foi aprovado no dia 14 de fevereiro. As lideranças do Fórum pedem que o prefeito José Thomé vete o projeto, ou que o próprio legislativo o revogue.

O projeto ganhou repercussão nacional com o padre Júlio Lancellotti divulgando em suas redes sociais como mais uma demonstração no país de aporofobia, preconceito dos que vivem bem contra os pobres.

Abaixo o link de acesso à nota de repúdio, com a manifestação do Fórum das Entidades do Campo e da Cidade do Alto Vale do Itajaí, espaço de articulação e de organização que reúne mais de 20 entidades da Região. “Acesse a nota, compartilhe, curta a publicação e siga a página do Fórum das Entidades no Instagram”, pede a comissão de Comunicação.

Clique no link Repúdio à lei contra esmola

O Fórum ainda aprovou várias outras atividades e elegeu o novo coordenador geral. Marcos Rozar, do Sintraf de Alfredo Wagner, passou a coordenação para o professor Lothar Weise Filho, do SINTE de Rio do Sul.

Por: Aurio Gislon, jornalista