Além de ser o único inseto que produz um alimento que pode ser consumido, o mel, a abelha possui papel fundamental para as plantas e para a agricultura.

As plantas precisam ser fecundadas para se reproduzirem, o que ocorre através da polinização.

E as abelhas fazem o serviço de polinização de 85% das plantas de importância para a alimentação humana.

A polinização e a importância das abelhas para as plantas

Polinização é a transferência dos grãos de pólen de uma flor – do estame, que é a estrutura masculina, para o estigma, que é a estrutura feminina, da mesma flor ou de uma flor para outra.

E esse processo possui contribuição de muitos insetos, no entanto, mais de 90% dos responsáveis por ele são as abelhas.

As abelhas são especialmente importantes, pois se alimentam exclusivamente de néctar ou pólen. E visitam muitas flores por dia para suprir suas necessidades.

Veja a porcentagem de plantas que dependem de polinização animal para sua reprodução sexual:

Globalmente: 87,5%;

Ecossistemas tropicais: 94%;

Ecossistemas temperados: 78%;

Sendo que a abelha é o principal animal que poliniza. Assim, novamente, notamos a importância desse inseto na produção vegetal.

A importância das abelhas na agricultura

Para se ter uma ideia, no Brasil, das plantas cultivadas, mais de 60% dependem da polinização animal. Considerando plantas cultivadas para alimentação humana, produção animal, biodiesel e fibras.

Estima-se a existência de 3.000 diferentes espécies de abelhas no país. No entanto, somente cerca de 400 estão catalogadas.

A espécie mais conhecida é a dos meliponíneos, ou seja, aquelas com produção de mel. Porém, existe uma infinidade de abelhas que podem ou não produzir mel, de espécies nativas e abelhas sem ferrão.

A atividade de polinização é uma ação involuntária dos polinizadores, mas essencial à vida das plantas, que se utilizam de cheiros, cores e sabores para atraí-los.

Importância das abelhas na agricultura: produção agrícola

Produtos agrícolas de peso na balança comercial brasileira, como soja, café, feijão e laranja, são dependentes de polinização.

Outras culturas com menor representatividade financeira, como maçã, melão e cacau, também necessitam essencialmente de polinização.

Além disso, culturas como trigo, milho e arroz, mesmo não dependentes da polinização animal, também se beneficiam desse tipo de serviço realizado pelos insetos.