Um protesto dos servidores da Segurança Pública de Santa Catarina bloqueou, na tarde desta terça-feira (20), o trânsito em duas das três pontes que ligam a Ilha ao Continente em Florianópolis. Pouco depois das 16h30, o fluxo de veículos foi liberado. A manifestação está ligada à reforma da previdência estadual.

Participaram da manifestação policiais civis, agentes socioeducativos, servidores da polícia penal e do Instituto Geral de Perícias.

Reivindicações

A Presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Santa Catarina, Vivian Garcia Selig, afirmou que “o governo do nosso estado até então não olhou pra segurança pública civil com dignidade e justiça. A segurança pública civil não busca nenhum tipo de privilégio, somente uma transição justa, uma idade mínima e peculiaridades em face da sua atividade de risco”.

O governo do estado e a Alesc discutem a reforma. Na segunda (19), houve uma audiência na Alesc com, ao menos, 30 entidades que representam as categorias afetadas, representantes do Instituto da Previdência do Estado (Iprev) e parlamentares.

Os deputados têm até quinta-feira (22) para apresentar alterações na proposta. A expectativa do governo estadual é de que a votação do projeto ocorra no dia 4 de agosto.

Em nota, o governo de Santa Catarina afirmou que “está acompanhando a manifestação dos servidores e continuará mantendo o diálogo republicano com as instituições de classe, para encontrar soluções que evitem prejuízos à sociedade catarinense”. (Com informações do G1/SC).

Professores da rede estadual e outros servidores também estão realizando protestos e assembleias para discutir as ações conjuntas contra a reforma da previdência estadual.