(logo)

Para apoiar projetos sociais voltados à preservação da infância e adolescência e também à saúde do idoso, a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) realiza campanha que incentiva a doação a estas iniciativas do imposto de renda devido. A ação integra a agenda do Fundo Social, programa articulado pela entidade com o objetivo de promover a cultura do uso dos incentivos fiscais no Estado. Ao declarar o imposto de renda de forma completa, pessoas físicas podem destinar até 6% do imposto de renda devido a projetos sociais, sendo 3% do IRPF para o Fundo da Infância e Adolescência e 3% do IRPF para o Fundo do Idoso. 

É uma transferência de recursos que não onera o imposto de renda, pois o contribuinte apenas indica onde alocar o valor devido, fortalecendo projetos sociais da própria comunidade. Além disso, é possível acompanhar de perto a aplicação dos recursos. Por meio do Fundo Social, é possível conferir projetos recomendados. Acesse o site e saiba mais sobre esta iniciativa: www.fundosocial.sesisc.org.br.

Fundo empresarial da FIESC doa ao Estado câmaras para conservação de vacinas

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) repassou à Secretaria de Estado da Saúde (SES), no dia 22, dez câmaras de resfriamento, com capacidade de 1,2 mil litros cada, que serão destinadas à conservação de vacinas. Este foi o segundo lote entregue, totalizando até o momento 15 das 30 unidades que serão doadas, conforme termo assinado no dia 8 de fevereiro.

Os recursos foram obtidos por meio do Fundo Empresarial para Reação Articulada de Santa Catarina Contra o Coronavírus (FERA/SC), mobilizado pela FIESC no início da pandemia.

Conforme o presidente da Federação, Mario Cezar de Aguiar, sempre nos momentos de adversidade, o empresário catarinense demonstra seu espírito solidário para a comunidade. 

“E tem sido desta forma, também durante esta pandemia. Entre as inúmeras iniciativas da indústria de Santa Catarina está o Fundo Empresarial, articulado pela FIESC e por meio do qual foi possível a doação de equipamentos e insumos à rede estadual de saúde – incluindo respiradores pulmonares, medicamentos, oxímetros e, neste momento, as câmaras para armazenamento e conservação das vacinas”, destaca. 

Além das 30 câmaras de resfriamento, os recursos do Fundo Fera foram utilizados na aquisição de uma dezena de respiradores pulmonares artificiais, 5 mil oxímetros, medicamentos usados na intubação, transporte de respiradores consertados no Instituto SENAI de Inovação, em Joinville, e projetos empresariais para o enfrentamento da pandemia. No total, foram arrecadados R$ 2,5 milhões. Além disso, a FIESC doou, com recursos próprios, mais oito ventiladores artificiais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui