30% dos participantes de pesquisa ainda relatavam os sintomas da Covid-19 nove meses após contrair a doença (Foto: Maxim Shemetov/Reuters)

Pesquisa publicada pelo jornal médico Jama Network apontou que 30% dos participantes do estudo ainda relatavam os sintomas da Covid-19 nove meses após contrair a doença. A maioria dos casos acompanhados era de pessoas que tiveram casos leves. As informações são da CNN Brasil.  

Os sintomas mais comuns foram os de fadiga e perda do olfato, mas casos de confusão mental e dificuldade na respiração também foram relatados. 

“Pacientes com infecções mais graves vão apresentar mais sequelas, a relação é proporcional. Mas isso não quer dizer que pacientes com infecções moderadas não apresentem”, disse Heron Rached, coordenador do Centro de Cardiologia e do Centro de Tratamento Pós-Covid do Grupo Leforte. 

Ainda segundo ele, será “difícil atribuir a sequela à Covid, porque não temos como isolar e dizer que foi o vírus. Mas a prevalência de insuficiências renais, cardíacas, arritmias e infartos vai aumentar como resultado da pandemia”. “Isso é o que a gente está vendo no dia a dia: pacientes que tinham lesões estáveis que passaram a instabilizar depois de contrair a Covid”, completou. (247)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui