(Charge pode isso 146)

Pode isso 146

Do Folha

O ministro da Economia Paulo Guedes está considerando a votação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do pacto federativo como o principal teste para sua permanência no governo. A PEC contém medidas de arrocho fiscal, como suspensão de concursos, congelamento de salários de servidores e de promoções.

Guedes quer ainda levar adiante sua pauta de privatizações, com o pretexto de que irá  repassar a programas sociais parte da arrecadação com a venda de empresas estatais. 

A PEC do pacto federativo é parte do acordo fechado pelo governo com a cúpula do Congresso para liberar o auxílio emergencial neste ano, informa a Folha de S.Paulo.

A votação da PEC no Senado está prevista para esta quinta-feira (25). Segundo auxiliares de Guedes, todo o foco do ministério está nessa medida e ele pretende manter o silêncio sobre a polêmica da Petrobras pelo menos até essa data.

Moro admite que Lava Jato poderá ser anulada e reclama que é “odiado”

Sergio Moro já admite a interlocutores que a Lava Jato irá desmoronar debaixo de toda enxurrada de ilegalidades reveladas pelas petições da defesa de Lula depois do acesso às mensagens da Operação Spoofing. Moro está com medo de que toda Lava Jato seja anulada. Segundo a colunista Bela Megale, Moro admite que não tem horizonte na política e que se sente odiado. “Parte considerável dos políticos de Brasília me odeia”, tem dito o ex-juiz.

A Operação Spoofing foi deflagrada pela Polícia Federal em julho de 2019, com o objetivo de investigar as invasões às contas de Telegram da Lava Jato que deram origem à Vaza Jato e agora às petições da defesa de Lula. Toda a escuta foi conduzida pelo hacker Walter Delgatti, cuja história será transformada em documentário. 

As revelações que vieram à tona desde a Vaza Jato e agora com as petições da defesa de Lula levaram o ministro Gilmar Mendes, do STF, a afirmar que a Lava Jato corrompeu a democracia no Brasil: “Primeiro a Lava Jato atua na prisão do Lula. Prestes à eleição, a Lava Jato divulga o chamado depoimento ou delação do Palocci, tentando influenciar o processo eleitoral. Depois, o Moro vai para o governo Bolsonaro, portanto eles não só apoiaram como depois passam a integrar o governo Bolsonaro”.

Delegada que levou reitor ao suicídio falsificou depoimento na Lava Jato

De Luis Nassif no jornal GGN.

A Erika Merena, da Polícia Federal, transformou mera questão de problemas administrativos, em convênio entre a Universidade federal de Santa Catarina (UFSC) com o MInistério da Educação, para organizar a mais infame operação de todo o período da Lava Jato: a invasão do campus da UFSC, prisão e humilhação de professores, até levar o reitor ao suicídio.

À operação, a delegada convocou mais de uma centena de policiais de todo o país, repetindo a encenação de seu colega Mauricio Moscardi Grillo, que convocou também mais de uma centena de policiais de todo o país para mera operação contra corrupção na vigilância animal.

Nos diálogos, os procuradores da Lava Jato revelam que Erika praticou uma falsificação. Pensando atender a pedidos dos procuradores, Erika criou um falso termo de depoimento, simulando ter ouvido a testemunha com escrivão e tudo, “quando não ouviu nada”.

Os procuradores contatam que, claramente, houve fraude. Mas sua reação consiste em encontrar saídas para ocultar o crime cometido. Caracterizam-se, aí, dois crimes. Um, da própria Erika, cometendo falsificação e dos procuradores procurando esconder o mal feito.

Haddad acusa Guedes de preparar golpe contra educação e saúde depois de ter destruído ciência e cultura

Do 247

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad alertou em suas redes sociais nesta terça-feira 23, que o ministro da Economia, Paulo Guedes, prepara um pacote ultraliberal para “asfixiar” verbas para educação e saúde, pastas já sucateadas no governo de Jair Bolsonaro. 

Guedes tem anunciado que só autorizará o retorno do auxílio emergencial de R$ 250 se o Congresso aprovar uma PEC de ajuste fiscal que prevê suspensão de concursos, reajustes de servidores e progressões de carreira. A medida de austeridade, como alertou Haddad, poderá atingir em cheio as pastas da educação e saúde. 

Guedes prepara golpe contra saúde e educação. Tenta fazer com estas áreas o que já conseguiu fazer com a ciência e a cultura. Asfixiá-las do ponto de vista orçamentário. Não há futuro com Bolsonaro; só destruição. Diga não à desvinculação de receitas. Viva o SUS e o Fundeb!

O senador Marcio Bittar (MDB) entregou ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), na segunda-feira 21, o relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para realizar o novo auxílio emergencial. A discussão sobre o tema deve ocorrer na quinta-feira 25, no Senado.

Conselheiro da Petrobras diz que Bolsonaro é ‘tão comunista quanto o PT’

Do Essencia/DCM

O conselheiro da Petrobras, Marcelo Mesquita. Foto: Reprodução/CNN

Após a intervenção de Bolsonaro na Petrobras, o presidente foi criticado por um conselheiro da estatal.

Em entrevista à CNN, Marcelo Mesquita afirmou que foi o primeiro “flerte” do presidente como comunismo.

“É o primeiro flerte do Bolsonaro de mostrar que ele é comunista, assim como o PT. E não o antagonista do PT”.

O conselheiro disse ainda que “no Brasil, os militares sempre tiveram duas grandes facções”: os capitalistas e os comunistas. Para ele, Bolsonaro faz parte do segundo grupo.

Raça de ignorantes. Até quando teremos que conviver com tanto besteirol? Tudo, que sua “santa ignorância” não entende é comunismo. Vai estudar alienado ..

Weintraub abre queixa-crime contra Boulos por ser chamado de “imbecil”

Do Metrópoles

O ex-ministro da educação Abraham Weintraub abriu uma queixa-crime no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) contra Guilherme Boulos. A acusação de injúria e difamação se baseia em um tuíte feito por Boulos, no qual chama Weintraub de “imbecil”. O caso tramita na 11ª Vara Criminal.

A publicação de 20 de janeiro relaciona a falta de vacinas e insumos no Brasil ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ao ex-ministro Abraham Weintraub e ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Veja o tuite:

@GuilhermeBoulos

20 de jan

O Brasil corre o risco de ficar sem vacinas suficientes por falta de insumos da China por causa de Jair Bolsonaro e três imbecis: Dudu Bananinha, Ernesto Araújo e Weintraub.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui