A pandemia se espalha por Santa Catarina e o medo agora é faltar sacos de óbito (Foto: Divulgação)

Pode isso 147

Das redes sociais

Em mensagem postada em sua página no Twitter, profissional de saúde de Florianópolis dá a dimensão da pandemia da covid em Santa Catarina. Ele conta sobre as orientações que estão sendo passadas pelas autoridades para embalar corpos de mortos pela doença em caso de falta de sacos específicos para a finalidade.

“Se o número de óbitos ultrapassar a demanda dos sacos de óbito devemos colocar os corpos em sacos de lixo: dois cobrindo as pernas até a cintura e dois na cabeça e troco passando uma fita pra juntar”.

O governo de Santa Catarina articula com os municípios novas restrições para conter o avanço da doença. O endurecimento vem em um momento bastante complicado.

Com o menor índice de isolamento social desde março do ano passado, o Estado tem atualmente um crescimento na média de mortes e no número de casos ativos.

A ocupação dos leitos de UTI para adultos já passa de 90%, com registros de lotação máxima em hospitais de várias regiões da Grande Florianópolis ao Oeste.

Rosa Weber dá 5 dias para Bolsonaro explicar decretos que flexibilizam acesso às armas

Do Sputnik 

Bolsonaro terá que dar explicações no prazo de cinco dias sobre decretos que flexibilizam acesso às armas. Foi o que determinou nesta terça-feira 23, a mnistra do STF, Rosa Weber. 

Bolsonaro editou, via quatro decretos no dia 12 de fevereiro, grupo de regras para o uso e a compra de armas de fogo, de forma a flexibilizar o acesso às armas.

Ações, do PSB, Rede, PT e PSOL questionam os decretos, apontam que elas violam direitos fundamentais como o direito à vida, à dignidade da pessoa humana e à segurança pública.

A ministra Rosa Weber é a relatora das ações partidárias que questionam os decretos no Supremo e determinou que as matérias sejam levadas ao plenário do STF. Na decisão da terça-feira 23, Weber salienta que todos os decretos sobre armas feitos por Bolsonaro até agora foram questionados na Corte.

Entre os efeitos da flexibilização que Bolsonaro propõe estão o aumento do número de armas que cada brasileiro pode possuir, além de que colecionadores, caçadores e atiradores tiveram o acesso às armas facilitado.

Diálogo de Dallagnol e seus amigos: “Os americanos vão quebrar a Odebrecht. Kkkkk”

Do DCM

A extinta força-tarefa Operação Lava Jato, comandada pelo procurador federal no Paraná Deltan Dallagnol, tripudiou com o fato de que a empresa brasileira Odebrecht seria “quebrada pelos americanos” com as multas que sofreria naquele país graças à ajuda dos procuradores da extinta Operação Lava Jato.

É o que mostram os diálogos protocolados nesta segunda-feira 22, pela Defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no STF. Todas as conversas a que os advogados do petista tiveram acesso advêm da Polícia Federal, trata-se de material periciado pela Operação Spoofing, ao qual o MPF-PR teve acesso antes do que a Defesa do ex-presidente.

Grupo de advogados bolsonaristas promete processar todos que criticarem o preside

A Ordem dos Advogados Conservadores do Brasil (OACB) publicou uma nota em que promete processar os críticos do presidente.

O grupo pede que apoiadores enviem postagens ofensivas contra o presidente, sua família e o governo para seu e-mail a fim de processar os autores das críticas. “Seja por parte de políticos, artistas, professores ou qualquer um do povo”.

Prometendo, em caixa alta, “PROCESSAR TODOS”, o grupo de advogados bolsonaristas afirma:

“Sua privacidade será preservada. VAMOS PROCESSAR TODOS. Nossa equipe de advogados providenciará o devido encaminhamento da NOTÍCIA CRIME e demais petições aos canais competentes”.

Onde se formou essa gente? No botequim da esquina?

Brasil de Bolsonaro tem 30 fábricas de vacina para gado e só 2 para humanos

De Nathalia Passarinho na BBC Brasil.

A pandemia da Covid-19 evidenciou uma fragilidade do Brasil: a alta dependência de insumos importados da China para a fabricação de vacinas e o sucateamento de laboratórios e fábricas usados para produzir imunizantes no país.

Enquanto na década de 1980 o Brasil tinha pelo menos cinco institutos capazes de produzir vacinas, atualmente, há apenas dois em operação: Bio-Manguinhos, da Fiocruz, e o Instituto Butantan.

E das 17 vacinas atualmente distribuídas por esses dois institutos de pesquisa, só quatro são fabricadas totalmente no Brasil e não dependem da importação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), como é chamada a matéria-prima para produzir imunizantes.

Esse sucateamento do setor de vacinas para humanos contrasta com os elevados investimentos na fabricação nacional de imunizantes para animais, principalmente gado.

Enquanto o Brasil importa a grande maioria das vacinas usadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mais de 90% das vacinas para gado são fabricadas no país, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan). (…)

De fato, existem cerca de 30 fábricas para vacina veterinária — a maioria no Sudeste do país, segundo o Sindan. Trata-se de um mercado que garantiu faturamento de R$ 6,5 bilhões ao setor farmacêutico veterinário e que ajuda a manter a liderança mundial do Brasil na exportação de gado.

Maia diz que “com certeza” votaria em Haddad num 2º turno contra Bolsonaro em 2022

Em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, transmitida pelo UOL na terça-feira 23, o ex-presidente da Câmara disse que “com certeza” votaria em Fernando Haddad num 2º turno hipotético contra Jair Bolsonaro.

“Não tenho dúvida nenhuma que hoje, com todas as divergências entre a minha agenda econômica e a do PT, eu sei que o governo do Haddad seria um governo democrático”, disse Maia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui