(Charge pode isso 141)

Pode isso 141

Por Jota Cancelo

Em 2018, o Estadão ficou em dúvida entre a democracia e a barbárie com seu editorial da “escolha muito difícil”.

Desta vez, Bolsonaro também tem o mesmo dilema.

Mas, dessa vez, sabemos o resultado.

Como em 2018, o resultado será a barbárie.

Padre Júlio Lancellotti: ‘temos que arrebentar as pedras desse capitalismo selvagem’

Do 247 

Defensor dos mais pobres há décadas, principalmente na Zona Leste de São Paulo, o padre Júlio Lancellotti ganhou os jornais mais uma vez há quase dez dias quando, simbolicamente, usou uma marreta para derrubar pedras colocadas pela prefeitura da capital paulista sob um viaduto para impedir que pessoas em situação de rua se alojassem no local. “Me deu uma tristeza na hora”, disse o padre, lembrando que as pedras foram colocadas embaixo do viaduto Dom Luciano Mendes de Almeida.

A atitude da prefeitura faz parte de uma linha chamada de “arquitetura hostil” que, na prática, expulsa os moradores de rua de espaços públicos. O padre esclareceu que não defende que homens e mulheres morem sob viadutos e pontes, mas sim que tenham moradia digna. “Alguns se enganam achando que nós queremos que as pessoas fiquem embaixo do viaduto. Nós não queremos. Nós queremos que elas tenham casa para morar e que, em vez de gastar dinheiro público para colocar pedras, façam um ecoponto, um canteiro de mudas para verdejar as cidades, façam qualquer outra coisa, e façam casas para os moradores de rua”.

“As pedras que nós temos que tirar são as pedras da indiferença, desse capitalismo selvagem, desse neoliberalismo exacerbado. Essas pedras todos nós podemos arrebentar. E a marreta é a marreta da resistência, da coragem”, completou.

Eduardo Bolsonaro incita o ódio: “Estão felizes com o decreto das armas? Vocês não querem o comunismo para Santa Catarina não?”

Do Globo

Em evento na Praia do Forte, em São Francisco do Sul (SC), o filho de Jair Bolsonaro, Eduardo, insinuou que o novo decreto que flexibiliza a compra e uso de armas de fogo visa frear um suposto “comunismo” e ideologia de gênero em ascendência no Brasil.

“Cadê o rapaz que queria arma? Vocês estão felizes com o decreto das armas? Vocês não querem o comunismo para Santa Catarina não? Vocês estão com saudade do BNDES mandando dinheiro para Cuba? Criança na escola é para aprender sexo?”, disse o deputado, conforme reportado no Globo.

O novo decreto amplia de quatro para seis o número de armas de fogo que cada cidadão pode deter, podendo chegar a oito em determinados casos.

Segundo o próprio governo, a medida seria destinada a colecionadores, atiradores e caçadores, mas Eduardo parece ou não ter lido o decreto, ou, mais provavelmente, ter deixado escapar seu verdadeiro objetivo.

Que comunismo bananinha? Só na tua cabeça, dos teus familiares e dos teus seguidores alucinados! Enquanto os alienados liberam armas, “o presidente dos EUA, Joe Biden, pediu em discurso neste domingo 14, leis mais duras para posse de armas de fogo no país dele”.

Vacinação lenta facilita a multiplicação e mutações da covid

De Bruna Lima no Correio Braziliense.

Sem controle da transmissão e com um ritmo de vacinação lento, o Sars-CoV-2 encontra um ambiente perfeito para se multiplicar e desenvolver mutações que desafiam a eficácia das vacinas já produzidas no mundo.

Enquanto um imunizante de vírus inativado pode se revelar mais eficaz contra as novas variantes — por conter a totalidade do patógeno, o que prepara o sistema imunológico para defesa mais abrangente —, o que utiliza o RNA pode ser redesenhado mais facilmente dentro dos laboratórios para se adaptar às novas cepas.

Na dúvida, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e especialistas indicam que a vacinação contra a covid-19 deve continuar com a maior velocidade possível.

A epidemiologista Ethel Maciel, pós-doutora pela Universidade Johns Hopkins e professora da Universidade Federal do Espírito Santo, explica que a vacinação rápida é necessária justamente para conter a transmissão do vírus e essa proliferação de novas variantes.

Compromisso com o erro: ‘Respeito ao STF vai pro esgoto’, diz Fux sobre anulação da Lava Jato

De Robson Bonin na Veja:

Nessa ofensiva contra a Lava-Jato — que liberou mensagens de procuradores a Lula e deve derrubar a condenação de Sergio Moro contra o petista no caso do tríplex –, Luiz Fux foi questionado por interlocutores sobre o risco de toda a Lava-Jato ser anulada pela Corte.

“Não quero nem pensar nisso. Um absurdo. Uma vergonha nacional. O respeito ao STF vai para o esgoto”, disse, segundo um colega.

Ministro Ramos diz que aproximação de Bolsonaro com o Centrão é “amadurecimento político”

Para o ministro Eduardo Ramos, a aproximação do governo Bolsonaro com o Centrão é “amadurecimento político”.

Em entrevista a Andreia Sadi no “Em Foco” da GloboNews, ele afirmou: “Havia necessidade de uma composição que pudesse lhe dar tranquilidade nas votações das pautas para o Brasil. Aí chamam isso de aproximação com o Centrão. Não, eu chamo isso de amadurecimento político, e que está dando resultados”.

O ministro ainda defendeu a fala de Heleno sobre o Centrão e disse que ela ocorreu “em outro momento”.

Perfeitamente normal no governo miliciano do VALE TUDO! Onde vamos chegar?…

Dino explica a quem serve o decreto das armas de Bolsonaro

Nas redes sociais, nesta segunda-feira, 15, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), explicou “quem está feliz” com os decretos de Jair Bolsonaro que favorecem a ampliação do porte de armas.

“A indústria que fabrica e vende armas; Milícias e quadrilhas, pois haverá mais armas circulando no mercado; Quem pode pagar R$ 3.000 ou mais por armas; Malucos que sonham com uma nova ditadura no Brasil”, listou o governador.

No sábado, 13, com o anúncio dos decretos, Dino publicou no Twitter: “Espero que o Supremo derrube mais essa insanidade: pessoas com DEZENAS de armas de fogo. Não há ‘legítima defesa’ do mundo que justifique essa violência anticristã, além do risco à segurança pública e à democracia”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui