(charge pode isso 140)

Pode isso 140

Do G1:

O Brasil teve uma alta de 5% nos assassinatos em 2020 na comparação com 2019, após dois anos consecutivos de queda. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

No ano passado, foram registradas 43.892 mortes violentas, contra 41.730 em 2019. Ou seja, 2.162 mortes a mais. Estão contabilizadas no número as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

O aumento de mortes aconteceu mesmo durante a pandemia do novo coronavírus e foi puxado principalmente pelo Nordeste, que teve um aumento expressivo nos assassinatos: 20%. É importante ressaltar que a região também foi a grande responsável pela queda de mortes nos últimos dois anos.

Lira promete volta das coligações e flexibilização da cláusula de barreira

Do Antagonista

O presidente da Câmara dos Deputados prometeu reintroduzir medidas que devem garantir que o órgão permaneça ‘travado’ pelo alto número de partidos.

Arthur Lira (PP-AL), prometeu novas medidas que devem piorar a situação na Câmara dos Deputados no que diz respeito ao alto número de partidos que nela estão representados. 

As coligações partidárias, que Lira pretende reintroduzir, levam à representação maior de partidos menores, e a cláusula de barreira gradativamente impõe obstáculos gradativamente a partidos de menor expressão. As medidas visam ‘destravar’ a Câmara.

Um dia comum: Trabalhando pelo vírus, Bolsonaro aglomera no Maranhão

Das redes sociais

Estamos com vacinação em ritmo lento no Brasil.

Bolsonaro sabotou compras da CoronaVac e fez discursos negacionistas contra a vacina necessária para combater o novo coronavírus no Brasil.

O presidente da República também se recusou a usar máscara e recomendou a cloroquina, um medicamento sem eficiência contra a pandemia, para a população – fazendo todos correrem risco d vida.

Agora, viajando pelo Maranhão, Jair Bolsonaro promove aglomeração com a população.

Temos o coronavírus e pelo menos quatro mutações do vírus. A irresponsabilidade de Bolsonaro é imensa.

Exército compra bicicletas de triathlon por R$ 26,3 mil a unidade

De Hugo Marques na Coluna Radar da Veja.

A Academia Militar das Agulhas Negras, do Exército, anunciou a compra de material esportivo no valor de 9,985 milhões de reais.

A lista de materiais inclui aquisições de até 28 bicicletas especiais de fibra de carbono para triathlon, cada uma ao preço estimado de 26.333 reais a unidade, somando 737.000 reais a fatura.

A compra prevê a inclusão de até 30 calças de tiro, cada uma a 5.500 reais e 99 maiôs femininos para natação. As compras incluem ainda dezenas de jaquetas para esgrima a 1.645 reais cada e jaquetas para tiro a 2.999 reais cada.

A Aman justifica que as aquisições de materiais esportivos têm como principal objetivo realizar competições para “estreitar os laços de amizade entre a Marinha, a Aeronáutica e o Exército”. Os materiais são usados para organizar e executar os treinos durante o ano de instrução.

E para comemorar as vitórias “as Forças Armadas compraram 80 mil unidades de cerveja e 700 mil quilos de picanha, com superfaturamento”. De acordo com o publicado no Estadão e denunciado pelo PSB. (“Para comemorar as vitórias”  é nosso.)

Bolsonaro será denunciado no exterior por tentar mudar Programa de Direitos Humanos

Do Folha

Ex-ministros de Direitos Humanos e parlamentares ligados ao tema vão denunciar o governo de Jair Bolsonaro no exterior devido à decisão do governo de rever o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH). 

A ministra Damares Alves baixou, na quinta 11, portaria criando um grupo para refazer o texto, informa a coluna da jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

“É a destruição da política nacional de Direitos Humanos, construída em mais de 50 conferências temáticas, com representantes de todos os matizes e de todas as causas que os conectam ao sistema internacional”, diz a deputada federal e ex-ministra Maria do Rosário (PT-RS).

Dados do IBGE indicam recuo da economia

Do Folha

Dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)​ esta semana indicam a desaceleração da economia no fim do ano passado, refletindo as dificuldades criadas pela redução do auxílio emergencial.

Nesta quinta 11, o IBGE mostrou que o setor de serviços parou de crescer em dezembro, fechando o mês com recuo de 0,2%. O setor fechou 2020 com um volume de vendas 3,8% abaixo do verificado antes da pandemia.

O comércio teve queda ainda maior em dezembro, de 6,1%, o pior desempenho em duas décadas. Depois de esforço para recompor estoques, a indústria também dá sinais de desaceleração.

Para Fábio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), ouvido pela Folha de S.Paulo, os resultados acendem uma luz amarela no setor produtivo.

Por sua vez, a economista Margarida Gutierrez, da Coppead/UFRJ, considera que as expectativas são muito ruins para este ano.

Bolsonaro abre ‘briga de rua’ com governadores por causa do aumento dos combustíveis

Das redes sociais

O presidente Jair Bolsonaro iniciou uma briga com governadores devido ao aumento dos combustíveis no país.

No Twitter, o sujeito pede que seus seguidores abasteçam o carro e postem a nota fiscal, para mostrar o “indício de bitributação”.

Ele aproveita para cutucar: “[Governadores] ainda jogam a população contra o governo como se fosse o único a arrecadar.”

O povo tem o governo que merece! O que fez 30% de alienados… Bolsonaro, novamente desviando a atenção do mundo de miseráveis que seu governo  neoliberal criou. (desgoverno)

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui