Santa Catarina inicia a vacinação contra a Covid-19

Três pessoas receberam a primeira dose do imunizante no fim da tarde desta segunda-feira 18

0
69
Enfermeiro Júlio César foi o primeiro a ser vacinado (Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom)

A imunização contra a Covid-19 começou em Santa Catarina. O governador Carlos Moisés deu início oficialmente à campanha de vacinação em um ato no Instituto de Cardiologia, em São José, na Grande Florianópolis. Três pessoas receberam a primeira dose do imunizante no fim da tarde da segunda-feira 18. As vacinas começaram a ser distribuídas a todas as regiões na manhã desta terça-feira 19.

“A Covid-19 transformou a nossa realidade, mudou nosso dia a dia, passamos a ter uma série de restrições, mas hoje é um dia de alegria. Nós acreditamos na ciência. Não temos um remédio, porém temos a esperança de dias melhores com a vacina. Passaremos o ano de 2021 imunizando a população de Santa Catarina e é importante que todos atendam ao chamado para receber as doses”, destacou o governador Carlos Moisés.

No ato, foram vacinados os primeiros catarinenses: o enfermeiro Júlio César Vasconcellos de Azevedo, morador de Florianópolis; a gestora ambiental Eunice Antunes (nome indígena Kerexu Yxapyry), liderança da terra indígena Morro dos Cavalos, em Palhoça, e o idoso João de Jesus Cardoso, que reside em uma instituição de longa permanência em São José.

Santa Catarina recebeu 144.040 doses nesta segunda-feira 18, das quais 17.480 são destinadas à população indígena e 126.560 para a população geral. De acordo com o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, a previsão é imunizar aproximadamente 68 mil catarinenses com esse primeiro lote.

“Este é um passo importante, temos a certeza absoluta de que vai fazer a diferença nos próximos meses. Mas é necessário alertar que, mesmo com o início da vacinação, ainda estamos na pandemia e precisamos tomar os cuidados, como manter o distanciamento, usar máscara e higienizar as mãos”, lembrou o secretário.

Na avaliação do presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Paulo Roberto Weiss, o início da imunização representa sinalização de esperança para os catarinenses. “A saúde é tripartite, então depende do Governo Federal, do Governo do Estado e dos municípios. A chegada da vacina vai trazer a esperança de dias melhores para todo o nosso povo, e passa o recado para que a população acredite na ciência”, destacou o presidente.

A primeira fase da campanha de vacinação envolve indígenas, profissionais da saúde e residentes de instituições de longa permanência com mais de 60 anos ou deficientes. A população estimada que se enquadra nesses critérios é de aproximadamente 426 mil pessoas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui