Bolsonaro não consegue nem colocar uma máscara (Foto: Divulgação)

Da Revista Galileu.

Um estudo publicado na revista cientídica JMIR Public Health and Surveillance revela que, se a população não receber (e adotar) orientações adequadas de uso da máscara, o acessório pode contribuir para um aumento dos casos de Covid-19.

Liderada por cientistas da Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, a pesquisa constatou que o principal fator de risco para a transmissão da doença foi o número de contatos diários que os participantes tinham com outros adultos e idosos.

A descoberta, então, levou os pesquisadores a observarem que aqueles que usam máscara têm mais contato com outras pessoas em comparação com aqueles que não a utilizam — e uma proporção maior contraiu o novo coronavírus. “Quando você usa uma máscara, você pode ter uma sensação enganosa de estar protegido e, assim, ter mais interações com outras pessoas”, diz Eline van den Broek-Altenburg, coautora do artigo, em declaração.

De acordo com os cientistas, a tarefa do governo não se resume em pontuar a necessidade de usar máscaras, mas também em fazê-lo da forma adequada. “Isso deve ir de mãos dadas com a educação de que as máscaras não dão um passe livre para ver quantas pessoas você quiser. Você ainda precisa limitar estritamente seus contatos”, adverte van den Broek-Altenburg.

O estudo também descobriu que o ambiente onde viviam os participantes do estudo determinava quantos contatos eles tinham e afetava a probabilidade de serem infectados pelo Sars-CoV-2. A análise indica que uma proporção maior de pessoas que moram em apartamentos foi contaminada pelo novo coronavírus em comparação com as que vivem em casas com uma única família.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui