(Charge: Internet)

Pode isso 114

Vale a pena ver de novo… Debochado! Quanto será que custa a manutenção?

Do DCM

Marco Feliciano é uma figura inacreditável. Um baita desavergonhado!

Estamos com quase 200 mil mortos por conta da pandemia do novo coronavírus.

Ele consegue escrever isso aqui.

No Twitter:

“Há um tempo certo para tudo na vida! Há tempo de lutar e há tempo de lamentar as perdas. No meio da pandemia, o tempo era de luta. Agora, que o pior da tormenta passou, nosso Presidente @jairbolsonaro se solidariza com as famílias que perderam entes queridos!”

É aquele mesmo que você está pensando: de uma das dentaduras mais caras do Brasil, paga com o nosso dinheiro, do contribuinte brasileiro. Os desdentados pagando o luxo de um “pastor”, para ele ter um sorriso lindo. E o debochado se diz cristão, servidor de Deus!

“Coisa de Satanás querendo desviar atenção do nascimento de Jesus”, diz Dino sobre discurso de Bolsonaro

Do Twitter

Flávio Dino detonou o discurso de Jair Bolsonaro no Natal.

Usou suas redes sociais.

No Twitter:

“Na noite de Natal, a besta-fera fez suas apologias absurdas de armas e violência, além de difundir mentiras. Coisa de Satanás querendo desviar atenção do nascimento de Jesus Cristo. Mas tenho convicção de que a Palavra é mais forte e a nossa Nação vai se libertar desse mal”.

Este aí nem o bispo Macedo exorciza! Kkk

Governo Bolsonaro corta verbas para divulgar campanhas de vacinação

De Eduardo Militão e Guilherme Mazieiro no UOL.

O governo do presidente Jair Bolsonaro — que tem minimizado a importância da vacina contra a covid-19 e já declarou que não será imunizado contra a doença — diminuiu os gastos com campanhas de incentivo a vacinação em 2019 e em 2020 em relação ao último ano do governo de Michel Temer (MDB), quebrando uma trajetória ascendente de investimentos em propaganda de imunização no país.

De 2018 para o ano passado, a redução dos valores pagos com campanhas de imunização foi de 21%, considerando-se a correção da inflação no período. As despesas caíram de R$ 77 milhões para R$ 60 milhões, conforme dados da execução orçamentária e do próprio governo, obtidos pelo UOL. Esses valores não se referem ao gasto com compra de imunizantes — que vem crescendo na última década —, mas a campanhas de divulgação nacionais.

Em 2020, até o último dia 22 de dezembro, os valores gastos com as campanhas foram de R$ 45,7 milhões — o que equivale a uma queda 24% em relação ao primeiro ano do governo de Bolsonaro. Esse montante não inclui investimentos previstos para divulgar vacinação da covid-19, que ainda não têm data para ser realizada no país.

O Ministério da Saúde disse que a queda de gastos em 2019 se deve “à redução orçamentária” da pasta. O governo não se manifestou sobre a situação neste ano, marcado pela pandemia do novo coronavírus, que já matou quase 190 mil pessoas no país.

A justificativa, no entanto, contradiz os dados do orçamento do ministério hoje comandado pelo general Eduardo Pazuello, depois da passagem por outros dois ministros, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, durante a crise sanitária provocada pela covid-19.

Enquanto isso…

Governo Bolsonaro já gastou quase R$ 8 milhões com cartões corporativos em 2020

Do Folha

Jair Bolsonaro e seus auxiliares gastam cada vez mais com cartões corporativos do governo federal e não dão transparência às despesas. É o que aponta reportagem de Gustavo Uribe e Thiago Resende publicada na Folha de S. Paulo. “Na gestão atual, foi gasto em média até agora R$ 672,1 mil por mês, o que representa uma alta de 51,7% em relação ao governo do emedebista Temer”, apontam os jornalistas, que dizem que os gastos foram ligeiramente inferiores aos da gestão de Dilma Rousseff.

“Neste ano, até o mês de novembro, o presidente desembolsou mais no cartão corporativo do que no ano passado. Ele gastou R$ 7,86 milhões, contra R$ 7,6 milhões em 2019, seu primeiro ano de mandato”, aponta a reportagem. Procurado, o Palácio do Planalto afirmou que a maior parte dos gastos no cartão de Bolsonaro se refere a custos por causa de viagens pelo país e internacionais, mas não oferece à sociedade um detalhamento das despesas.

A culpa neste quesito não é do Flávio. Ele só paga com dinheiro vivo!

Brasileiros esperam disparada da inflação em 2021

Com informações do Datafolha

Os preços já estão subindo e devem subir mais no próximo ano. Esta é a visão predominante dos brasileiros, segundo aponta pesquisa Datafolha. “A expectativa de aumento da inflação atingiu em dezembro o maior patamar registrado no governo Jair Bolsonaro (sem partido) pelas pesquisas do Datafolha. Segundo o levantamento, 72% dos entrevistados afirmam que a inflação vai aumentar. Em agosto deste ano, eram 67%. Naquele mês, a inflação em 12 meses medida pelo IPCA estava em 2,44%. Em novembro, chegou a 4,31%”, aponta reportagem de Eduardo Cucolo, publicada na Folha de S. Paulo.

“A percepção dos brasileiros está em linha com as projeções de mercado. Também reflete um momento em que o custo de alimentos e insumos à produção está em alta, por causa de fatores como falta de produtos, aumento de exportações e repasse cambial. A expectativa dos economistas consultados pelo Banco Central é que o IPCA chegue a algo próximo de 6% até maio de 2021”, aponta ainda a reportagem.

Há dois anos Paulo Guedes promete melhorar. Agora fala em crescimento em V e que privatizações farão o Brasil disparar! Creio que para o fundo do poço. Incompetente!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui