(Charge)

Pode Isso 95

Do DCM

A ex-líder do governo Bolsonaro Joice Hasselmann diz que, desde a campanha, os aliados mais próximos sempre souberam que ele “era burrão” e limitado.

O combinado, segundo ela, é que a própria cuidaria do Congresso, Paulo Guedes da economia e Sergio Moro do combate à corrupção.

Mas Bolsonaro, diz Joice, quis mais do que mandar beijinho e ficar com a fama, caso desse certo.

“Ele gostou demais da brincadeira”, comenta.

E passou a mandar.

Joice caiu, Moro também. Guedes ainda se mantém no cargo, mas já não é respeitado nem por antigos pares, no mercado financeiro.

Fala e não entrega.

A ex-líder do Governo expondo como o próprio Governo via o presidente. “Burro e limitado”. Se eles de perto já achavam quem somos nós pra discordar. Jandira Feghali

GloboNews debocha do vício de Maradona e o chama de “jogador populista” por sua militância

Por Kiko Nogueira

O programa Estúdio I, da GloboNews, fez uma cobertura aviltante da morte de Maradona.

Mesclando deboche e sensacionalismo, a âncora Maria Beltrão conseguiu a proeza de bater o próprio recorde de risadas fora de hora e lugar.

A comoção que tomou o mundo passou ao largo da turma, que achava graça em idiotices.

A ênfase foi à “idolatria” em torno do jogador, com anedotas dos presentes sobre a “igreja” Maradona e causos idiotas do correspondente Ariel Palácios, e à dependência química.

Beltrão gargalhava sem razão, dando o tom para os puxa-sacos que a cercam.

Jornalistas e ex-jogadores foram convocados a relatar sua experiência com Maradona.

Júnior, ex-Flamengo, foi instado a responder se, no jogo contra o Boca Juniors, em 1981, notou que o argentino estava drogado.

Saiu-se como deu diante da pegadinha.

Só faltava revelar que testemunhou Maradona se picar atrás do gol e voltar para o campo.

Sidney Garambone lembrou que viu Maradona no Carnaval do Rio e ele foi ao banheiro porque tomou “muito guaraná e tinha que fazer xixi”.

É uma maneira sutil e supostamente divertida de sugerir que Maradona foi cheirar cocaína.

Coube ao mesmo sujeito lembrar a militância política de Diego.

Ele foi, nas palavras de “Garamba”, o “primeiro jogador populista” por sua convivência com Chávez, Fidel Castro e Evo Morales

Ou seja, a regra é ser um Pelé, um Neymar, calar a boca, jogar bola e morrer.

Se tivesse VAR do jornalismo e da vergonha na cara, daria impedimento. Isto é uma vergonha com todas as letras!

Erros, irregularidades e omissões colocam em dúvida a vacina da AstraZeneca

Do 247 – The York Times

A AstraZeneca admitiu que um erro crucial foi cometido na dose de vacina recebida por alguns participantes em seus estudos, segundo reportagem do The York Times. Com isso, aumentam as dúvidas sobre se a eficácia aparentemente espetacular da vacina vai se confirmar após testes adicionais.

Cientistas e especialistas do setor disseram que o erro e uma série de outras irregularidades e omissões no modo como a AstraZeneca divulgou os dados inicialmente enfraqueceram sua confiança na confiabilidade dos resultados.

“Acho que eles [a AstraZeneca] realmente prejudicaram a confiança em todo seu programa de desenvolvimento”, disse Geoffrey Porges, analista do banco de investimentos SVB Leerink. 

A AstraZeneca foi a terceira empresa a anunciar bons resultados iniciais sobre a vacina contra o coronavírus. À primeira vista, na manhã de segunda-feira (23), os resultados pareciam promissores. O imunizante parecia ter eficácia de 90% ou de 62%. A eficácia mediana, disseram os criadores, era de 70%.

O programa menos eficaz envolveu duas doses completas. Em anúncio inicial, a AstraZeneca afirmou que menos de 2.800 participantes seguiram o programa com uma dose inicial menor e 8.900 participantes receberam duas doses completas.

Mas informações cruciais faltaram nos estudos. A empresa disse que a primeira análise foi baseada em 131 casos sintomáticos de coronavírus que surgiram em participantes do estudo. Não foram informados, por exemplo, quantos casos foram encontrados em cada grupo de participantes – os que receberam a dose inicial 50% menor, os que receberam a dose inicial normal e os que receberam um placebo.

A AstraZeneca também teria juntado os resultados de dois ensaios clínicos concebidos de maneira diferente realizados no Reino Unido e no Brasil. 

“O release para a imprensa suscitou mais perguntas do que ofereceu respostas”, disse John Moore, professor de microbiologia e imunologia no Weill Cornell Medical College.

“Não consigo entender de onde está vindo toda a informação e como ela está sendo combinada”, disse Natalie Dean, na Universidade da Flórida, especialista em bioestatística e na criação de ensaios de vacinas.

“Brasil está metendo os pés pelas mãos” com a China, diz ex-embaixador em Pequim sobre ataques de Eduardo

Da BBC Brasil 

A mais nova crise provocada por uma nova fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro (Republicanos-SP) atacando a China pode trazer “graves danos” ao Brasil caso a potência asiática adote barreiras comerciais contra produtos brasileiros e busque outros fornecedores de commodities, disse à BBC News Brasil o diplomata aposentado Roberto Abdenur, que atuou como embaixador em Pequim (1989 a 1993) e nos Estados Unidos (2004 a 2006).

Embora muitos no Brasil considerem a China dependente das importações brasileiras de itens como soja, carne, minério de ferro, açúcar e celulose, Abdenur alerta que o governo de Xi Jinping tem buscado novos fornecedores e já adotou este ano retaliações econômicas contra outro importante parceiro comercial, a Austrália, reagindo a críticas de autoridades australianas que pediram uma investigação internacional sobre a origem do coronavírus.

Em reação, Pequim elevou barreiras parciais sobre a carne australiana, taxou em 80% a importação de cevada do país e desencorajou chineses a estudarem ou fazerem turismo na Austrália, devido a “numerosos casos de discriminação contra asiáticos”. (…)

“O Brasil está metendo os pés pelas mãos de maneira desarrazoada e contraproducente. Eduardo Bolsonaro fala como deputado, como filho do presidente e como presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. É de uma imensa irresponsabilidade, agora ameaçando causar danos graves aos interesses do Brasil com a China”, afirmou Abdenur. (…)

O bananinha, fritador de hambúrguer, em ação! Acorda Brasil!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui