(Charge pode isso 93)

Pode Isso 93

Do Globo:

O governo federal gastou em 2019 cerca de 70% a menos com ações de promoção da Igualdade Racial e Superação do Racismo quando comparado com os valores gastos no ano anterior. De acordo com dados públicos disponibilizados pelo Ministério da Economia, foram pagos em 2019 R$ 5.880.453 nessa rubrica, valor bem abaixo dos R$ 20.500.068 pagos em 2018. Os valores foram gastos no âmbito de mais de um ministério da Esplanada, mas, principalmente, pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), que concentra o maior montante de recursos para a área.

Uma mudança feita pelo governo Jair Bolsonaro na estrutura do Orçamento não permite mais separar os dados gastos especificamente para este fim a partir de 2020. Isso ocorreu porque todos as ações voltadas a minorias foram fundidas em apenas um programa no Orçamento, chamado de “proteção à vida fortalecimento da família promoção e defesa dos direitos humanos para todos”. Dentro desse programa, há ações voltadas para a pessoa idosa, políticas de combate à violência contra a mulher, promoção dos direitos dos povos indígenas, mas não há uma ação específica contra o racismo.

Nos últimos anos, quando havia programa específico para esse fim, os recursos pagos em ambos os anos foram menores do que o previsto inicialmente. Em 2018, a dotação inicial era de R$ 34.497.690, já em 2019, o valor caiu pela metade, ficando com previsão inicial de R$ 15.208.082.

Oposição protocola ação contra governo Bolsonaro por monitoramento de redes sociais de parlamentares

Do PT na Câmara:

Parlamentares do PT na Câmara e no Senado protocolaram nesta segunda-feira 23, ação popular contra o ministro-chefe da Secretária de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, e secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fábio Wajngarten, em decorrência do monitoramento, pelo Palácio do Planalto, das redes sociais de pelo menos 116 parlamentares, numa afronta à Constituição e à democracia.

Ambos são acusados de praticar, entre outros delitos, improbidade administrativa, pela contratação de empresa privada para monitorar, de forma ilegal, as atividades de parlamentares, sobretudo os da oposição, além de jornalistas.

Tanto a Secretaria de Governo quanto a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República realizaram despesa pública para a contratação de empresa de monitoramento de redes sociais “fora do âmbito de suas competências, lesando, assim, o Erário e incorrendo em ato de improbidade administrativa”, argumentam os parlamentares.

Improbidade administrativa

(…) Na ação, pleiteia-se a suspensão tanto da vigilância sistemática dos parlamentares realizada pelo governo Jair Bolsonaro como do contrato com a empresa responsável pelos relatórios de monitoramento.

A batata comunista

Do Tijolaço – Fernando Brito

O descompromisso de Jair Bolsonaro com a verdade – talvez fosse melhor chamar de compromisso com a mentira – parece não ter limites.

Agora, culpa o “fique em casa” timidamente praticado no início da pandemia pelo aumento de preços, que está assustando até os seus eleitores.

O aumento do valor do dólar (nada menos que 40% desde o início do ano!) foi o que elevou preço do óleo de soja, ou do arroz, que passou a ser cobrado aqui pelo preço de exportação e é claro que o preço do dólar é, em boa parte, resultado das políticas federais.

Não do ICMS que, segundo ele o “Estado de São Paulo aumentou de quase tudo”, inclusive da cesta básica”. Dória de fato aumentou impostos, mas não da cesta básica. Coisa que, aliás, a equipe econômica de Paulo Guedes cogitou fazer.

Guedes, aliás, diz que “o país está no meio de uma “quebradeira” de empresas.

Uai, mas não estamos em plena recuperação, segundo a propaganda governamental?

As mudanças na Lei de falências estão paradas, esperando o Senado votá-las e isso não acontece por falta de uma mínima articulação do Governo, que não poderia esperar um presidente mais dócil que Davi Alcolumbre.

Para que serve a aliança do Governo com o Centrão se não é para dar poder ao Executivo nas decisões legislativas?

Trump joga a toalha e transição de governo vai começar nos EUA

Da RT

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, derrotado nas urnas, jogou a toalha e autorizou a transição de governo para o vencedor das eleições, o democrata Joe Biden. .

A chefe da Administração de Serviços Gerais dos Estados Unidos, Emily Murphy, notificou Joe Biden na segunda-feira 23, que a Administração Trump está disponibilizando recursos federais para ele iniciar o processo de transição na Presidência do país.

Por sua vez, Trump confirmou por meio de sua conta no Twitter que está “recomendando que Emily e sua equipe façam o que for necessário em relação aos protocolos iniciais” e disse a sua equipe “para fazer o mesmo”. Apesar disso, ainda afirmou que vai continuar sua luta para contestar os resultados das eleições, informa a RT.

O que faz o medo da cadeia? Trump responde por dezenas de processos, inclusive sonegação de impostos, crime gravíssimo nos Estados Unidos. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui