[Pode isso?! ... (90)]

“O meio ambiente vai andar de braços dados com o agronegócio”. A frase polêmica, divulgada nesta sexta-feira (4), por meio de áudio no whatsapp, é de Everaldo Eguchi, delegado federal e candidato a assumir o cargo de chefe do Ibama no Pará. As informações são de Cleide Carvalho, do jornal O Globo.

Ele afirma que o Ibama vai agir de acordo com a lei, mas de forma que não atrapalhe os produtores rurais, ou de outros ramos, como minério, madeira e pesca.

“O Ibama vai agir de acordo com a lei, mas a lei pode ser interpretada para prejudicar, ou para não prejudicar o produtor. E nós vamos utilizar a lei para ser usada de forma que não prejudique a produção”, diz Eguchi para depois complementar: “E o Pará vai se trensformar no maior produtor agropecuário do Brasil. Se Deus quiser”.

O delegado federal Eguchi foi candidato a deputado federal pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, conquistando 52.393 votos no Pará, mas não foi eleito. Na propaganda eleitoral ele se apresentava como ex-advogado ambiental que atuou para várias empresas do setor madeireiro e do agronegócio antes de ingressar na Polícia Federal, onde atuou na repressão a crimes ambientais.

Bispo licenciado, Crivella xinga Doria: “vagabundo” e “viado”

Do 247 

Na noite desta quarta-feira 18, o candidato à reeleição pela prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), xingou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de “vagabundo” e “viado” em reunião com filiados a seu partido. Crivella é bispo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) -está licenciado

Quando uma apoiadora criticou organizações sociais que atuam na área da Saúde, Crivella respondeu: “Eu entrei na Justiça contra esses vagabundos. Tinha dinheiro pra pagar aos funcionários, eles pegaram e pagaram fornecedor, que tinha que pagar dia 10 de dezembro. E faltou dinheiro. Todas essas OSs (…) Sabe de quem é essa OS? De São Paulo! É do Doria! Viado! Vagabundo!”.

“Acabou o Itamaraty”, diz Milton Blay

Do Bom dia 247 

O jornalista Milton Blay avalia que a política externa adotada pelo governo Jair Bolsonaro “acabou” com a credibilidade do Itamaraty em nível internacional. “O Itamaraty era até a chegada do Bolsonaro a instituição governamental mais prestigiada aqui no exterior. Mesmo em momentos de crise, o Itamaraty sempre foi uma voz ouvida e respeitada. Agora, acabou o Itamaraty. Pura e simplesmente. Acabou”, disse Blay em sua participação no programa Bom Dia 247 desta quinta-feira 19. 

“O Brasil vota contra todas as resoluções importantes na ONU, por exemplo. O Brasil toma puxão de orelhas da OMS (Organização Mundial de Saúde) e daí por diante. O Brasil chegou ao ponto, ao absurdo, de ter um ministro das Relações Exteriores que é contra o multilateralismo. Eu acho que é a loucura máxima que se pode ter: alguém ser contra o multilateralismo e ser ministro das Relações Exteriores. Claro, ele é aluno de Olavo de Carvalho, disso explica tudo”, disse em referência ao chanceler Ernesto Araújo.

Vereadora negra é ameaçada em SC: “A gente mata ela e entra o suplente, que é branco”

Depois de tornar-se a primeira vereadora negra eleita da história de Joinville, a maior cidade de Santa Catarina, no último domingo 15, a professora Ana Lúcia Martins tem sofrido ameaças nas redes sociais. Em uma das mensagens, uma pessoa afirma: “Agora só falta a gente matar ela e entrar o suplente que é branco (sic)”.

“Sabia que não seria fácil. Estava ciente de que enfrentaria uma certa resistência em uma cidade que elegeu apenas na segunda década do século 21 a primeira mulher negra. Só não esperava ataques tão violentos”, afirmou Martins, em suas redes sociais.

“Por meio de um perfil fake, recebi, por duas vezes, ameaças de morte, evidenciando que o problema central era eu ser a primeira mulher negra eleita da cidade. Esse perfil fake destila no Twitter todos os tipos de preconceitos e discriminações possíveis e, em diversas situações, deixa claro estar organizado com outras pessoas de Santa Catarina, em uma denominada ‘Juventude Hitlerista’”, denuncia Martins.

Ainda de acordo com a vereadora eleita, na noite de domingo 15, após a divulgação do resultado, suas redes sociais foram invadidas. Mais tarde, sua equipe recuperou as contas de Martins.

No texto em que ameaça a petista de morte, o internauta afirma, também, que “não há como comemorar uma petista no poder novamente em Joinville” e que o “PT não deveria existir mais”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui