Marqueteiro delator na Lava Jato diz que “caixa 2 sempre foi a alma do sistema eleitoral brasileiro”

O marqueteiro João Santana afirmou nesta segunda-feira 26, em sua primeira entrevista após fechar acordo de delação premiada na Lava-Jato, que o caixa dois sempre fez parte da alma do sistema político brasileiro

0
48
(Pode Isso?)

Do GLOBO:

Em entrevista ao programa Roda Viva, Santana também defendeu a honestidade dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, apesar de os ter acusado nos depoimentos que prestou.

— A caixa dois é uma coisa que domina. O caixa dois foi sempre a alma do sistema eleitoral brasileiro. E era uma coisa geral. E poucos foram punidos.

Em outro momento, disse que o caixa dois atinge 99,9% dos marqueteiros e dos políticos do país.

Santana ainda cumpre pena em regime aberto pelo crime de lavagem de dinheiro e usa tornozeleira eletrônica. O marqueteiro exibiu no programa um visual diferente dos tempos em que fazia campanha para candidatos do PT, com cabelo comprido, barba e brinco.

Bolsonaro e a pandemia excluem as mulheres do mercado de trabalho

Do ESTADÃO

Pela primeira vez nos últimos 30 anos, a maioria das mulheres brasileiras está fora do mercado de trabalho. A crise econômica brasileira, agravada com os retrocessos do governo Jair Bolsonaro e a pandemia de Covid-19, aumentou o desemprego dos trabalhadores em geral – mas das trabalhadoras em particular. No segundo trimestre deste ano, a participação feminina no mercado despencou para 46,3%.

Esse indicador considera mulheres com mais de 14 anos que trabalham ou estão procurando emprego, na comparação com o universo total do gênero. Após bater recordes nos governos Lula e Dilma, o índice recuou no rastro da recessão, do golpe de 2016 e da chegada de Bolsonaro ao poder.

A pandemia piorou a situação das mulheres trabalhadoras, com empresas fechando postos de trabalho, escolas operando a distância e idosos precisando de cuidados extras. Conforme demonstra o IBGE, os hábitos e a cultura da sociedade têm impedido muitas mulheres não só de trabalhar – mas até de procurar emprego. E, dentro de casa, elas ficaram (ainda mais) sobrecarregadas. 

Desde 1991, o número de mulheres no mercado de trabalho não caía abaixo dos 50% – e desde 1990 não atingia valor tão baixo, quando ficou em 44,2%.

Motoboy negro é impedido por moradora de entrar em condomínio de luxo: “Não vou permitir esse macaco”

Do 247 

Uma moradora do condomínio de luxo Aldeia do Vale, em Goiânia (GO), impediu no domingo 25, o motoboy negro Elson Oliveira de realizar uma entrega de hamburguer na sua casa.

“Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Manda outro motoboy que seja branco”, disse a moradora. Indignada, a gerente da hamburgueria negou trocar o entregador. “Eu não vou permitir esse macaco”, continuou a moradora.

“Como vocês sabem, eu gerencio a hamburgueria do meu irmão. Ontem (domingo 25), no final da noite, tivemos um pedido no Aldeia do Vale e quando o entregador estava chegando lá, pedi para que ela liberasse a portaria para que ele pudesse entrar. Tive essas palavras como resposta”, publicou a gerente, divulgando a conversa no perfil da hamburgueria.

Depois que o facista assumiu o governo, os esgotos do país vomitaram gente dessa espécie.

Filha de admirador do nazismo, governadora de SC se recusa a responder se concorda com ideias neonazistas

Do FOLHA

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr, filha de Altair Reinehr, professor de história simpatizante dos ideais nazistas, evitou responder se concorda com ideias neonazistas e negacionistas sobre o holocausto judeu durante a Segunda Guerra Mundial, em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira 27.

“Eu respeito, volto a dizer, respeito as pessoas independentemente dos seu pensamentos, respeito os direitos individuais e as liberdades. Qualquer regime que vá contra o que eu acredito, eu repudio”, disse Reihner sem especificar quais direitos e liberdades que defende e qual regime repudia, como revelou reportagem do jornal Folha de S.Paulo. 

A reportagem ainda informa que ela assume o cargo após o governador Carlos Moisés (PSL) ser afastado temporariamente enquanto seu processo de impeachment é julgado, assim como ocorre com o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Se o placar da votação da denúncia se repetir no tribunal especial, Moisés pode ser absolvido e voltar ao cargo. Reinehr teve a denúncia arquivada.

Líder do governo, Ricardo Barros dá chilique em entrevista por uso do termo “troca-troca”

O líder do governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), deu um chilique durante entrevista à Rádio Gaúcha nesta quarta-feira 28, ao ser questionado sobre a troca de favores entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso Nacional. Ele se negou a usar o termo “troca-troca”.

“Desculpa, não vou tratar com você de termos de troca-troca. Desculpa, isso é chulo. Você é gaúcho, rapaz! Que conversa é essa? Que troca-troca? Pensa que isso é o quê? Casa da mãe Joana? Tenha paciência”, reclamou o parlamentar.

O jornalista Luciano Potter havia usado o temo – que é bastante comum – para questionar o parlamentar sobre os bastidores: “Eu pergunto se essa coalizão é dinheiro, se é emprego… Que tipo de coisa física que o presidente precisa dar para conseguir esse troca-troca porque a gente sabe que todo presidente brasileiro precisou dar alguma coisa”.

A jornalista Kelly Matos, que também participou da entrevista, ressaltou que a explosão de Barros foi pelo termo. “Ele ficou bravo não pela troca de favores. Mas por causa da expressão ‘troca troca’, que pode ser interpretada como relação sexual entre homens. E seguiu ‘Você é gaúcho, rapaz’”, tuitou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui