Nos anos iniciais, a Educação de Ibirama alcançou índice de 6,8, maior que o índice de 2017, superando as metas nacional e municipal (Foto: ACPMI)

O Ministério da Educação, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), divulgou os números referentes ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2019. Ibirama teve avanços significativos no índice, superando as metas nacionais e municipais. Além disso, no Alto Vale o município alcançou o segundo melhor IDEB nos anos finais, que compreende as turmas do 6º ao 9º ano e terceiro nos anos iniciais, que compreende as turmas do 1º ao 5º ano.

Em relação aos anos iniciais, a Educação de Ibirama alcançou índice de 6,8, maior que o índice de 2017, que foi de 6,1 e de 2015, que foi de 6,0. O município superou a meta nacional, que era de 5,7 e também a própria meta municipal, que era de 6,1.

Nos anos finais, o município alcançou o índice de 5,6, superando os anos de 2017, com índice de 5,1 e 2015, com índice de 4,5. O município superou a meta nacional, que era de 5,2, e alcançou a meta municipal, de 5,6.

De acordo com a secretária de Educação de Ibirama, Marilene Collet Krause, a evolução no IDEB é resultado dos investimentos estruturais e de capacitação realizados na rede municipal de ensino de Ibirama. “Nos últimos anos a Educação de Ibirama tem passado por uma grande transformação. Todas as unidades de ensino receberam investimentos estruturais, como ampliações, reformas e outras melhorias. Mas, acreditamos que a Formação Contínua de professores, gestores educacionais e demais servidores tenha sido o principal investimento para alcançarmos este resultado positivo”, destacou.

Saiba mais sobre o IDEB

Medido a cada dois anos, o IDEB é o principal indicador de qualidade da educação brasileira. É calculado com base em dados de aprovação nas escolas e de desempenho de estudantes no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB), que avalia os conhecimentos dos estudantes em Língua Portuguesa e Matemática.

O índice final varia de 0 a 10, tem metas diferentes para cada ano de divulgação e também metas específicas nacionais, por estado brasileiro, por rede de ensino e por escola.

A intenção é que cada instância melhore os índices para que o Brasil atinja o patamar educacional da média dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui