Vacina: produção em massa do medicamento deve começar em breve (Marcelo Camargo / ABr)

RBA / JAV

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou nesta terça-feira 11, o registro da primeira vacina contra o novo coronavírus no mundo. Segundo Putin, a vacinação da população deverá se realizar exclusivamente de forma voluntária. Ele disse também que espera que a produção em massa do medicamento comece em breve.

As informações foram divulgadas pelo canal de televisão russo RT, o primeiro que divulga informações em espanhol naquele país. 

O ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, disse que a droga mostrou eficácia e segurança. Ele lembrou que a vacina será produzida em duas plataformas: pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e pela empresa Binnofarm. Por sua vez, a investidora russa Sistema explicou que a Binnofarm terá capacidade para produzir cerca de 1,5 milhão de doses anuais.

Nesse contexto, Murashko declarou que seus ensaios clínicos continuarão, nos quais participarão milhares de pessoas. “Os desenvolvedores da vacina prepararam os documentos para a realização de futuras investigações clínicas com a participação de milhares de pessoas. Para a vigilância rápida do estado de saúde dos vacinados e o controle de eficácia e segurança, o Ministério da Saúde da Rússia cria um contorno digital único que permite monitorar a segurança e a qualidade dos medicamentos em todas as fases do ciclo de vida “, disse ele.

A vacina, criada artificialmente sem nenhum elemento do coronavírus em sua composição, está na forma liofilizada e representa um pó para preparar uma solução administrada por via intravenosa.

O presidente Putin ainda informou que uma de suas filhas foi vacinada contra a Covid-19. “Uma de minhas filhas foi vacinada, tendo participado da fase de testes. Após a primeira vacinação, ficou com 38 graus de temperatura, no dia seguinte tinha 37 graus e pouco. E é tudo”, afirmou Putin.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui