Jair Bolsonaro gera aglomeração em São Vicente horas antes de o Brasil atingir 100 mil mortes por coronavírus (Foto: Cassio Moraes/Seicom/PMSV))

RF/JAV

Em coluna publicada na Folha de S.Paulo neste domingo 9, o sociólogo Celso Rocha de Barros aponta motivos pelos quais o presidente Jair Bolsonaro merecia ser preso. Um dos pontos defendidos é a ameaça de golpe do ex-capitão contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao comentar sobre a reportagem da Piauí, responsável por denunciar a ameaça de intervenção do presidente, o sociólogo destaca que Bolsonaro até então não desmentiu a matéria.

“Se o governo quisesse desmentir a matéria, poderia tê-lo feito e considerado o assunto encerrado dentro da bolha que o elegeu. Não desmentiu”, afirma.

Além da ameaça de golpe, Rocha de Barros lembra também os 100 mil mortos na pandemia e a interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal, acontecimentos que, segundo ele, também justificariam a prisão do presidente.

“Ainda não parece haver correlação de forças para impeachment e cadeia: o centrão está no bolso do governo, o auxílio emergencial ainda deve durar alguns meses. Enquanto for assim, a turma vai fingir que não viu o golpe, os 100 mil mortos, o aparelhamento na Polícia Federal”, continua.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), no entanto, não enxerga crime por parte de Bolsonaro em nenhum dos mais de 50 pedidos de afastamento que estão em sua gaveta. A afirmação do deputado foi dada em entrevista ao Roda Viva, na semana passada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui