Maia: "Temos uma crise grande que vai aumentar a desigualdade, vai aumentar o desemprego" (Foto: José Cruz/Abr)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu na quinta-feira 9, que o governo Bolsonaro apresente ao Congresso uma proposta para modernizar os projetos de renda mínima.  “O Congresso vai avançar nesse debate dentro da realidade fiscal do país. Se deixar para última hora, a pressão dos deputados e dos senadores para prorrogar os R$ 600 será grande”, ressaltou.

Por isso, segundo Maia, se não tratar a questão, o governo sofrerá forte pressão por parte de deputados e senadores para prorrogar, mais uma vez, a ajuda emergencial de R$ 600.

Maia entende que deve ser realizado um amplo debate sobre o tema. “Temos 60 dias para fazer o debate. O governo precisa parar de fazer discursos sobre a Renda Brasil (programa que unificaria os programas sociais existentes) e apresentar um programa para o Congresso.” O presidente da Câmara participou de uma live promovida pelo banco BTG Pactual nesta quinta-feira 9. 

Para Rodrigo Maia, o auxílio emergencial ajudou muito a economia brasileira, mas ainda deixou milhões de brasileiros sem assistência. “Temos uma crise grande que vai aumentar a desigualdade, vai aumentar o desemprego.”

“Sem nenhuma discussão, as coisas geram pressão. O correto é ter uma proposta do governo para fazer a discussão dentro do orçamento já existente”, completou.

Período crítico

O deputado afirmou que ainda há vários desafios a serem enfrentados neste período mais crítico da pandemia, como garantir crédito às empresas e mais recursos para entes federados. Maia disse esperar que, com a aprovação da Medida Provisória (MP) 975, o crédito às micro, pequenas e médias empresas sejam facilitados.

Já em relação a estados e municípios, ele destacou que ainda existem demandas de prefeitos e governadores que precisam ser solucionadas. Entre as demandas, Maia destacou a questão do transporte público, a prorrogação dos fundos de participação de estados e municípios e a perda de arrecadação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

“Precisamos construir uma solução em conjunto para as demandas para resolver esses problemas de prefeitos e governadores”, afirmou Rodrigo Maia.

Com informações da Agência Câmara de Notícias/RBA

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui