FMI vê queda de 9,1% do PIB do Brasil. Pode ser mais

De acordo com os números divulgados até um cego verá que a economia com ainda algum gás para se expandir será a chinesa

0
252
(Charge)

Por Fernando Brito – Tijolaço – JAV

O FMI – Fundo Monetário Internacional – divulgou suas novas previsões sobre a economia mundial e, fora da Europa Ocidental, o que antevê para o Brasil é mais que o dobro da queda do PIB mundial: 9,1% de queda, contra uma retração média de 4,9% no mundo.

Com os sinais de recrudescimento da pandemia nos EUA e também aqui e, com isso, uma prorrogação nos problemas decorrentes da retração da sociedade pode ser que seja até maior.

Com ou sem isso, está claro que não virá capital estrangeiro para sustentar qualquer programa de recuperação econômica nos planos sonhados por Paulo Guedes.

No lugar disso temos…nada. Nem a mixórdia do tal Plano Marshall do general Braga Netto, tolo e insuficiente.

De acordo com os números divulgados até um cego verá que a economia com ainda algum gás para se expandir será a chinesa, aquele país que Bolsonaro xingou na reunião ministerial, onde os providenciais cortes do Ministro Celso de Mello evitaram um explícito desastre diplomático.

Porque a retomada da Europa e dos próprios EUA, lembre-se, virá depois de um tombo muito mais forte, o que não repõe nem metade de suas perdas. Já a Ásia, mesmo com a queda do crescimento a quase zero, terá ganho real, por isso, em 2021.

No resto do mundo, será a lei do “farinha pouca, meu pirão primeiro”.