Senado deve votar adiamento das eleições, que sofre resistência na Câmara

Prefeitos pressionam deputados e é necessária a aprovação de PEC

0
61
Nesta semana, deputados e senadores devem discutir o adiamento das eleições municipais deste ano (Foto: Sérgio Lima/Poder360)

O Congresso vota nesta semana o adiamento das eleições municipais. O Senado deve analisar o tema nesta 3ª feira 23.

O adiamento das eleições é discutido por causa da pandemia do novo coronavírus. Há o temor de que aglomerações causadas pelo processo eleitoral, na campanha e na votação, facilitem a disseminação da covid-19.

A mudança precisa ser feita por meio de uma PEC (proposta de emenda à Constituição), que já foi apresentada (PEC 18 de 2020). Esse tipo de projeto é o mais difícil de ser aprovado: precisa de 3/5 dos votos dos deputados e senadores em dois turnos de votação em cada Casa.

O adiamento terá mais dificuldade para avançar entre deputados que entre senadores. Quando ficou claro que prorrogar mandatos era uma hipótese fora de cogitação, prefeitos que tentarão se reeleger passaram a fazer forte pressão sobre a Câmara para derrubar o projeto.

A ideia é que o 1º e o 2º turno saiam de 4 e 25 de outubro, respectivamente, para datas até o meio de dezembro. Assim, seria possível manter a posse dos eleitos em 1º de janeiro. Como os atuais prefeitos têm as máquinas municipais na mão e são, em geral, mais conhecidos que os potenciais adversários, levam vantagem se o pleito for realizado o mais cedo possível.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, passou a defender que seja aumentado o tempo de TV das campanhas para compensar a impossibilidade de comícios e outros eventos típicos do processo eleitoral.

O vice-presidente da Casa e chefe nacional do Republicanos, Marcos Pereira, disse em nota acreditar que deve ser estudada a hipótese de organizar as eleições com segurança em 4 de outubro.

Outros projetos

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que será votado na 4ª feira 24, o novo marco do saneamento. A proposta passou pela Câmara em dezembro de 2019.

Nesta 2ª feira 22, foi protocolada a versão final do relatório sobre o projeto que endurece o combate às fake news. O relator é Ângelo Coronel (PSD-BA). A proposta pode ser votada ainda nesta semana. 

A Câmara deve realizar nesta semana um desejo antigo do governo Jair Bolsonaro: votar o afrouxamento do código de trânsito. A proposta é o 1º item da pauta dsta 3ª feira.

A proposta aumenta o tempo de validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e a quantidade de pontos por infração que podem ser recebidos, com algumas condicionantes. A oposição tentará obstruir.

Também podem ser votadas três medidas provisórias na Câmara:

MP 925 de 2020 – estipula medidas emergenciais para aviação civil por causa da pandemia;

MP 930 de 2020 – trata da tributação de investimentos de sociedade controlada domiciliada no exterior;

MP 931 de 2020 – dispõe sobre o funcionamento das assembleias de sócios e votações à distância durante a pandemia.

As medidas estão na pauta de 4ª feira 24. É improvável, porém, que todas as 3 sejam analisadas em 1 único dia. 

A Câmara está funcionando em regime de votação remota, com os deputados participando das sessões por meio de seus celulares. Nessa modalidade, as sessões têm sido mais longas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui