O frio chegou? Saiba como evitar o aumento na conta de luz durante esta época do ano

Especialista dá dicas de como evitar gastos excessivos com equipamentos durante o inverno

0
51
É preciso conhecer o grau de consumo de cada um deles e praticar alternativas que auxiliem na redução do gasto de energia (Foto: Divulgação)

Com a chegada do inverno, começamos a nos programar para deixar a casa mais quentinha, principalmente quem mora em locais normalmente mais frios, como na região de Nova Lima/MG. Isso acaba por gerar um aumento na procura e no uso de eletrodomésticos que ajudam a driblar o frio. 

Chuveiros elétricos, aquecedores de ambientes e secadoras de roupas são alguns dos equipamentos mais utilizados durante o inverno. No entanto, é preciso conhecer o grau de consumo de cada um deles e praticar alternativas que auxiliem na redução do gasto de energia, para não levar um susto na conta de luz no final do mês.

“É preciso ficar atento à potência do equipamento e ao tempo de uso. Usar os equipamentos de maneira estratégica e com consciência ajuda a evitar gastos excessivos e desnecessários”, explica o engenheiro eletricista e coordenador de ensino do Centro de Capacitação em Tecnologia da Loja Elétrica (CCT), João Carlos Lima.  Então, para te ajudar a não ter um grande susto com sua conta, o especialista dá dicas importantes que vão te ajudar a deixar a casa quentinha. Veja: 

Secador de cabelo

Principalmente para as mulheres, o secador de cabelos é um grande aliado durante o inverno. Os equipamentos gastam entre de 1 a 1,5 kWh a cada hora de uso. Quando utilizado todos os dias, o aumento no consumo mensal poderá alternar entre 2,5 kWh a 3,75 kWh. A dica é secar bem o cabelo com toalha para diminuir o tempo que o aparelho permanece ligado. 

Chuveiro

Temperaturas mais baixas, banhos mais quentes e demorados. Os chuveiros, quando na posição inverno, tendem a consumir mais energia. Para se ter uma ideia, a Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica, calcula que um banho quente, com uma hora de duração, consome de 5,5 a 7,5 kWh (quilowatts-hora) o que equivale a aproximadamente um consumo de 165 a 225 kWh no mês.  A Celesc cobra R$0,541 por Kwh sem imposto, o que significa que um banho de 60 minutos de duração, ao final de 30 dias, custará entre R$ 98,265 a R$121,725 – sem contar os impostos na fatura, como o ICMS; taxa de iluminação pública e encargo de capacidade emergencial. 

Dica: o professor orienta a substituição dos chuveiros tradicionais pelos eletrônicos, pois eles permitem obter controle de temperatura de 0 a 100%, sendo capaz de proporcionar uma redução de até 90% na conta de luz. Ele reforça também sobre a necessidade de conscientizar a família para banhos rápidos, sem abuso de temperaturas muito quentes da água.

Aquecedores

Se você também está interessado em adquirir um aquecedor, veja quais dicas e fatores devem ser levados em consideração. O uso do aquecedor de ambiente deve ser moderado, pois, como qualquer outro aparelho elétrico, tem repercussão na conta de luz. Além disso, é necessário visualizar estrategicamente a quantidade de cômodos a serem aquecidos para não comprar e usar de maneira excessiva os equipamentos. Quartos e salas são os mais indicados para receber o aparelho, sendo necessário um por ambiente.

Geralmente, a potência dos aquecedores é na ordem de 1,5Kw. Quando ligado por até quatro horas, pode gerar um custo de energia elétrica entre R$ 50 à R$ 100 por mês. Além disso, é importante ficar de olho no funcionamento adequado do aparelho. 

Para garantir o melhor desempenho, verifique se as janelas e portas da casa estão fechadas. Esse cuidado auxilia na economia de energia, pois otimiza o uso do aquecedor.  E procure por aparelhos que tenham controle programável ou timer, pois são aliados no controle do consumo energético, além de proporcionarem mais conforto e praticidade. Evite deixar o aparelho ligado quando não há ninguém no cômodo, por exemplo

Secadoras de roupas

Secadoras com potências que variam de 4.000 a 5.000 Watts, se utilizadas todos os dias por uma hora, apresentam um consumo diário que varia de 4 a 5 kWh, totalizando um consumo mensal de 120 a 150 kWh. Esse cálculo corresponde a um valor mensal entre R$ 64,92 à R$ 81,15 na conta de luz, considerando o valor de R$0,541 por Kwh. 

É preciso ficar atento também às lavadoras que possuem a função de secagem. Considerando apenas os modelos automáticos, a potência varia entre 400 e 800 watts. No caso das lavadoras que apresentam a função de água quente, as lavagens têm gasto maior de energia pois deverá ser acrescido o consumo da resistência de aquecimento no valor de 1,5 Kw.  Nesse caso, existe um acréscimo de 0,5 kWh que acarretará um aumento aproximadamente de 0,9 a 1,3kWh, totalizando um custo entre R$ 0,56 a R$ 0.81 por ciclo de operação.  A orientação do João Carlos é acumular a maior quantidade de roupas para lavar e secar de uma única vez, reduzindo o uso dos aparelhos e o consumo de energia.

Geladeiras

As geladeiras também possuem “truques” que podem auxiliar na redução na conta de luz. Durante o inverno, uma das maneiras para diminuir o gasto de energia é ajustar a temperatura de funcionamento do seu refrigerador para o mínimo. Com dias mais frios, a geladeira não precisará permanecer no grau máximo de refrigeração, como no verão, por exemplo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui