Diferentes estados participaram do Webinar sobre mudanças climáticas (Foto: Sedes)

Mais de 150 pessoas de diferentes estados participaram do Webinar sobre mudanças climáticas, promovido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e que reuniu diversos atores para uma ampla discussão sobre a relevância do papel da sociedade nas ações ambientais. O evento também teve o propósito de reativar o Fórum Catarinense de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade, um instrumento fundamental no incentivo ao diálogo entre instituições públicas, privadas e setor produtivo.

O objetivo é integrar e subsidiar a formulação e implementação de políticas públicas voltadas a uma economia regenerativa e de baixo carbono, à conservação da biodiversidade, ao desenvolvimento do conhecimento climático e estabelecimento de medidas de mitigação e adaptação.

“A reativação do Fórum trará avanços e benefícios socioambientais e econômicos, que nos permitam alcançar um futuro sustentável e resiliente em sintonia com os objetivos da agenda 2030 e do acordo de Paris”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, também presidente do Fórum Catarinense.

O secretário adjunto, Celso Albuquerque, destacou os compromissos assumidos pelo Estado durante a Conferência Brasileira de Mudança do Clima e ressaltou uma das ações em andamento: a assinatura do Acordo de Cooperação com a CarbonDisclosure Project (CDP), da América Latina, sem gastos financeiros ao Estado. “O projeto pioneiro e piloto com o Programa CDP Supply Chain, firmado entre Santa Catarina e a CDP, visa a promoção do desenvolvimento sustentável, possibilitando que empresas selecionadas participem gratuitamente do mais amplo e completo sistema global de divulgação ambiental”, ressalta.

Integração

O coordenador do Fórum Brasileiro de Mudança do Clima, Oswaldo Lucon, parabenizou Santa Catarina pela reativação. “Precisamos coordenar uma agenda subnacional e consolidada, com a integração da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema) e da Agência Internacional de Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (Giz)”, disse.

A secretária Executiva de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco e coordenadora da Câmara Técnica do Clima da Abema, Inamara Santos Melo, reforçou a necessidade de somar forças para atingir metas ambiciosas de redução de emissão de gases de efeito estufa (GEE). “O tema não é uma agenda para o futuro. Já estamos vivendo uma emergência climática e precisamos mudar hoje”.

O subsecretário de Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Trani, destacou os resultados do trabalho no estado paulista em relação à qualidade do ar, a descarbonização da economia e o plano de ação climática. Falou ainda do ‘Acordo de São Paulo pelo Clima’, um protocolo voluntário das empresas para um processo contínuo de mitigação da emissão de gases de efeito estufa.

Problemas e oportunidades

A dimensão do problema que a sociedade deve enfrentar e as oportunidades que ainda temos foram temas na palestra do doutor José Baltazar Guerra, professor do doutorado e mestrado na Universidade do Sul de Santa Catarina, pesquisador do Centro de Governança Ambiental, da Universidade de Cambridge. “É preciso iniciar com urgência a mitigação agressiva e viabilizarmos um ambiente seguro, evitando a destruição do crescimento econômico e das riquezas”, destacou durante o painel: Mudanças Climáticas e Crise Hídrica.

O secretário executivo do Meio Ambiente (Sema), Leonardo Porto Ferreira, finalizou dizendo que o evento contribui para a formulação de ações de enfrentamento dos problemas do clima e as metas de planejamento da SDE. Ferreira destacou ainda as ações que a Secretaria vem realizando para garantir o crescimento econômico com sustentabilidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui