Nova equipe de neurocirurgiões começa a atender a partir do dia 17 no Regional

Oito dos nove médicos atendem em hospitais de Florianópolis e Caçador há vários anos

0
255
Assinatura do contrato de prestação de serviço foi assinado na terça-feira 4 e a equipe começa a atuar dia 17 de fevereiro (Foto: ACHRAV)

A partir do próximo dia 17, a nova equipe de neurocirurgiões, composta de nove profissionais, passa a atender no Hospital Regional de Rio do Sul, que hoje já é referência na especialidade para 28 municípios do Alto Vale do Itajaí. O contrato de prestação de serviço foi assinado na terça-feira 4. Oito deles atuam em hospitais de Florianópolis e Caçador, devendo se revezar com Carlos Livramento, o único que vinha atendendo pacientes de toda a região, que tem casos de demanda reprimida em até dois anos.

O presidente da Fusavi (Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí), Osmar Peters, destacou que a vinda destes neurocirurgiões é a primeira conquista do hospital neste ano. “Vínhamos buscando profissionais com essa especialidade em razão da grande demanda”. Peters observou que assim que foi acertada a vinda da equipe, a Fusavi adquiriu novos equipamentos, que custaram em torno de R$ 385 mil. “Isso vai possibilitar a realização de novos procedimentos que ainda não contamos no Hospital Regional”.

O médico Wuilker Knoner Campos coordena a equipe de neurocirurgiões que estão vindo para Rio do Sul. Eles são os mesmos que atuam há vários anos em quatro hospitais de Florianópolis e, mais recentemente, em Caçador. “Vamos atender de A a Z, conforme sempre falamos, ou seja, os mesmos serviços que prestamos nos outros locais”.  Wuilker ressaltou que os benefícios serão enormes já que uma cirurgia se torna mais segura quando envolve mais profissionais. “Cada um tem a sua subespecialidade para oferecer o melhor em neurocirurgia”. A sua equipe é formada por Antônio Mussi; Athos Athayde; Daniel Santos; Jorge Moritz; Marcelo Linhares; Melina Moré; Willian Baia.

Único neurocirurgião que vinha atendendo no Hospital Regional Alto Vale, Carlos Livramento, colocou que será possível agora reduzir a fila de espera por consultas nesta especialidade. “Somos referência e por essa razão temos demanda reprimida de até dois anos, dependendo do município”. O médico ressaltou que outro fator positivo da vinda desta equipe será a realização de novos procedimentos cirúrgicos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui