Bibliotecária de Rio do Sul participa de estágio do Iberbibliotecas

Marciani Raquel Bezerra esteve na formação na Costa Rica com bibliotecários sul-americanos

0
435
Bibliotecária Marciani Raquel Bezerra, de Rio do Sul (Foto: Divulgação)

O Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas – Iberbibliotecas selecionou profissionais da área no 4º Concurso de Estágios Internacionais 2019. Rio do Sul teve uma contemplada, a bibliotecária Marciani Raquel Bezerra, da Biblioteca Pública Municipal Nereu Ramos, que inscreveu projeto no concurso. A proposta é desenvolver ações de leitura que envolvam pessoas sem moradia e que são assistidas pelo Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP). O estágio, realizado na Costa Rica, capacitou os participantes para a aplicação dos seus projetos.

O 4º Estágio Internacional do programa foi realizado de 3 a 9 de novembro, com o tema “Biblioteca geradora de cultura de paz”. Seu objetivo, fortalecer os sistemas de bibliotecas públicas e comunitárias, contribuindo com o desenvolvimento e a qualificação de pessoas para enfrentar os desafios das bibliotecas na região Ibero-americana.

Fazem parte do Iberbibliotecas os seguintes países e cidades: Brasil, Buenos Aires (Argentina), Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, Medellín (Colômbia), México, Panamá, Paraguai, Peru e Quito (Equador).

O estágio promoveu treinamento e comunicação entre bibliotecários, que foram patrocinados pelo programa Ibero-americano de Bibliotecas Públicas, o Iberbibliotecas, e Sistema Nacional de Bibliotecas do Ministério da Cultura e Juventude da Costa Rica. Foram selecionados 25 bibliotecários com projetos relacionados ao tema do programa.

“Por todos os centros cívicos visitados, tivemos palestras, atividades de formação, workshop e visitas orientadas no intuito de conhecer na íntegra o funcionamento dos Centro Cívicos de Cultura de Paz. Todas as etapas de formação foram importantes e trouxeram conhecimentos, o que possibilitará implantação do projeto selecionado, além de melhorias e novos produtos e serviços oferecidos pela Biblioteca Pública para a comunidade”, afirma a bibliotecária Marciani Raquel Bezerra.

Para o Brasil, havia duas vagas para bibliotecários de bibliotecas públicas concorrerem com seus projetos. Uma das vagas ficou para Rio do Sul, que inscreveu o projeto “Bibliopop: cultura para a paz”. O projeto irá trabalhar e levar a literatura para os moradores em situação de rua de Rio do Sul, bem como trazê-los para a biblioteca para que usufruam dos produtos e serviços da biblioteca pública.

“Estamos visando o sentimento de pertencimento desse grupo, que antes não frequentava espaços como a biblioteca pública, para que se sintam incluídos nesses serviços e possam exercer sua cidadania”, destaca a bibliotecária.