(Cartaz)

Rio do Campo, no Alto Vale do Itajaí, receberá o evento de agroecologia mais importante de Santa Catarina, o 9º Seminário Estadual de Agroecologia nos dias 17 e 18 de outubro. Além dos catarinenses, haverão comitivas dos três estados do Sul e de países vizinhos.

O Seminário contará com a participação de agricultores, técnicos, estudantes, pesquisadores e consumidores. Essa é a segunda vez que a Região recebe o evento. Em 1999, a primeira edição ocorreu no município de Rio do Sul e a cada dois anos se repetiu nas cidades de Chapecó, Florianópolis, Lages, São Miguel do Oeste, Pinhalzinho, Porto União e Santa Rosa de Lima.

São 20 anos de história e nesta edição o tema do evento faz menção às duas décadas “20 Anos Construindo a Sociedade do Bem Viver, Cultivando Alimentos Para a Vida”.

As primeiras conversas para a escolha da sede do Seminário aconteceram em dezembro de 2018 em Florianópolis, onde Rio do Campo se candidatou a receber o evento. O Prefeito Rodrigo Preis garantiu, na ocasião, que o município tinha condições de superar os desafios da infraestrutura necessária e realizaria o Seminário com sucesso.

Um dos motivos que levaram a escolha da cidade sede para 2019 foi o crescimento dos investimentos que Rio do Campo fez na área da agroecologia em uma ação em conjunto com os setores públicos de educação, saúde e agricultura. No ano passado foi realizado no município um curso de três dias com Jairo Restrepo, colombiano especialista em agricultura orgânica.

Em janeiro foi confirmada a realização da edição comemorativa de 20 anos do Seminário na cidade de Rio do Campo. Diversas entidades passaram a se reunir para organizar o evento.

Fazem parte da organização a Prefeitura de Rio do Campo, Cáritas Brasileira, Epagri, Apremavi, Cemear, MST, Rede de Agroecologia Ecovida, Cresol, Cooperfavi, Prefeitura de Santa Rosa de Lima, Agreco, Acolhida na Colônia, Diocese de Rio do Sul, CPT, Comsea de Rio do Sul, Fetraf-SC, Instituto Federal Catarinense, Cepagro e Fcciat.

Inscrições

As inscrições para o 9º Seminário Estadual de Agroecologia são exclusivamente online, através do site https://doity.com.br/9-seminario-estadual-de-agroecologia/. Clique e acesse. O valor é de 49,50, incluindo taxa de serviço. Neste valor está incluso dois cafés da manhã, dois almoços, um jantar, caneca, sacola e materiais.

Os meios de pagamento são débito bancário e cartão de crédito. Cada participante poderá escolher uma das oficinas temáticas para participar no ato da inscrição.

Programação

A abertura, conferências, palestras e refeições ocorrerão no Salão Paroquial da Igreja Matriz de Rio do Campo. As oficinas serão em locais específicos na cidade,  próximos ao evento. Haverá feira de produtos orgânicos e de troca de sementes e mudas. 

Dia 17/10

08h – Credenciamento

9h – Mesa de Abertura com autoridades.

10h – Conferência de abertura

“A experiência de produção em grande escala de arroz agroecológico no Rio Grande do Sul” Salete Carlotto coordenação estadual do MST-RS.

“A experiência de produção e comercialização de alimentos agroecológicos em Santa Catarina” – Glaico José Sell, agricultor agroecológico.

11h30 – Fila do povo

12h – Almoço

14h – Oficinas temáticas

17h30 – Fórum Estadual de Agroecologia

18h30 – Jantar

20h – Lançamento do livro sobre SPDH

20h15 – Noite Cultural

22h – Descanso

Dia 18/10

07h – Café

Conferências temáticas

08h – Gênero:  Justina Cima – Coordenação do MMC

Juventude: Fabíola Rubas Girotto – Coordenação Estadual do MST

09h45 – Soberania Alimentar:  Rita de Cássia Maraschin da Silva – Consea-SC

Agrotóxicos: Eduardo Paladino – Promotor MPSC e Presidente do FCCIAT       

11h – Mesa de encerramento Leitura da Carta Manifesto de Agroecologia de Rio do Campo

13h – Almoço

Oficinas

Produção Comunitária de Sementes de Milho – Sementes crioulas, sementes de vida (hortaliças).

A oficina discorrerá sobre as técnicas e estratégias de resgate, melhoramento, produção e distribuição de sementes de milho a nível comunitário desenvolvidas na região do Planalto Norte de SC e PR, através da AS PTA já a mais de 30 anos.

Meliponicultura no Alto Vale do Itajaí – A oficina abordará a experiência prática da família no manejo de espécies de abelhas nativas da região e do Brasil. Apresentará as diferentes espécies manejadas pela família, modelos de caixas para manejos das diferentes espécies, alimentação e cuidados sanitários com as espécies.

Restauração de Áreas Degradada com ênfase em restauração de matas ciliares e nascentes – A oficina abordará a utilização de técnicas e metodologias aplicadas na Restauração Florestal, com objetivo de ampliar conhecimentos e a eficiência na recuperação de áreas ciliares de rios e nascentes.

Produção de bambus: alternativa de renda para as famílias rurais de Santa Catarina – A oficina introduz as diversas potencialidades dos bambus como alternativa de renda, com ênfase na produção e beneficiamento de brotos comestíveis. Conceitos básicos da biologia e ecologia dos bambus.  Apresentação da diversidade de espécies. Principais métodos de propagação, técnicas para o cultivo e manejo das principais espécies com potencial econômico recomendadas para o estado de Santa Catarina.

Segurança Alimentar para merendeiras escolares – Na oficina serão apresentadas noções básicas do uso integral dos alimentos de acordo com o cardápio proposto, enfatizando a possibilidade do uso seguro de plantas alimentícias e aromáticas garantindo a qualidade e a abundância da alimentação.

PANCS: conhecimento popular e ancestral – A oficina teoria prática de PANCs: conhecimento popular e ancestral busca preparar a comunidade para reconhecimento de plantas potencialmente nutritivas e a forma de utilizá-las na alimentação.

Produção Sustentável de Ovos Caipira – A oficina abordará a experiência prática da família na implantação e condução do sistema de produção de ovos caipira, abrangendo questões como: instalações, piqueteamento, aquisição aves, alimentação, manejo sanitário, classificação dos ovos, associativismo e principais estratégias de comercialização dos ovos.

Biofertilizante aeróbico: estratégia para o fornecimento de nutrientes e controle de doença de plantas – O Biofertilizante é um produto oriundo de um processo predominantemente fermentativo, aeróbico ou anaeróbico, de diversos materiais orgânicos. O resultando é uma matriz contendo macro e micronutrientes, metabólitos e alta carga de comunidades microbianas que atuam na promoção do crescimento e na saúde das plantas. O tempo de fermentação dos biofertilizantes aeróbicos é mais curto facilitando as sua adoção em sistemas de produção. A vantagem dos biofertilizantes em relação aos fertilizantes orgânicos sólidos está na possibilidade de sua aplicação via equipamento de irrigação ou fertirrigação, economizando mão de obra. Assim, os nutrientes e micro-organismos benéficos são facilmente aplicados sobre o sistema radicular das plantas cultivadas.

Sistemas Agroflorestais – Oficina teórico-prática, onde serão expostos e exercitados os princípios e técnicas para construção de agrflorestas. Será iniciada a implantação de um sistema agroflorestal demonstrativo junto a espaço de aproximadamente 0,5 hectar junto a Escola Municipal Hilário Preiss. Haverá demonstração de técnicas de preparo, fertilização, montagem de arranjos, além da rochagem (pós de pedra) e demonstração de picador de toras pequenas.

O Uso Racional de Plantas Medicinais – Análise de plantas medicinais, seus indicativos e contra indicativos, nomes populares e científicos, o uso racional das plantas, conhecimento popular e científico.

Comercialização Solidária de Alimentos Agroecológicos – A oficina buscará debater e oportunizar a construção de caminhos para a comercialização em rede de alimentos agroecológicos junto aos seus participantes. Para tanto buscará fomentar o debate e construção destes caminhos a partir da apresentação de três experiências concretas de comercialização de alimentos agroecológicos em desenvolvimento no Estado de SC, desenvolvidas pelos Fóruns de Economia Solidária, Cooperativa Agroecológia Ecoserra (cestas) e das CSA´s (Comunidades que Sustentam a Agricultura). Nestas iniciativas o “consumidor” tem uma participação consciente e proativa junto aos processos de distribuição/acesso aos alimentos, sendo compreendido como “coprodutor” do processo. Participarão desta oficina consumidores, agricultores (ecologistas ou não), entidades de assessoria e representantes do setor público (prefeituras sobretudo).

Energia alternativas para agricultura familiar – A oficina abordará conhecimentos e informações para a utilização de tecnologias disponíveis atualmente para produção de biogás e seus diversos usos à produção de alimentos para agricultura familiar, para geração e utilização de energia solar fotovoltaica aplicada à produção de alimentos para agricultura familiar. Além disso, a oficina contará com atualizações a respeito da legislação vigente sobre o sistema de compensação de energia elétrica para sistemas com geração distribuída ligadas à rede da distribuidora.

Agricultura urbana e segurança alimentar e nutricional em espaços públicos: integrando práticas e políticas públicas – Apresentação da experiência do CEPAGRO no desenvolvimento da Agricultura Urbana e Segurança Alimentar e Nutricional nas estruturas de atenção básica do Sistema Único de Saúde e Sistema Único de Assistência Social de Florianópolis-SC.

Agroturismo (Acolhida na Colônia) – A oficina irá abordar aspectos e metodologia para implementação do Agroturismo como alternativa de renda nas propriedades dos agricultores familiares, bem como apresentar “Cases de sucesso”.

Homeopatia integrativa – Oficina teórico-prática para introdução do uso da homeopatia na agropecuária. Serão abordados aspectos teóricos, metodologia e instrumentalização prática como o uso de preparados homeopáticos.

Certificação de alimentos orgânicos e a Rede Ecovida – Controle Social, Legislação Brasileira (SPG´s, OCS), Rede Ecovida e suas ações (certificação, sementes, extrativismo, comercialização)

Produção de leite em sistema agroecológico – A oficina abordará estratégias para aumentar a produção leiteira através do manejo agroecológico das pastagens (escolha das pastagens adequadas para cada região, adubação, controle o pastejo, piqueteamento); bem-estar animal e manejo do rebanho.

Política municipal de agroecologia e produção orgânica – A oficina irá abordar aspectos e metodologia para implementação de políticas municipais de estímulo à produção orgânica e agroecologia.

Crédito solidário 

Tintando com Cores da Terra – Na oficina será repassada a técnica para a confecção de tinta com solos. Iniciando com as dicas de coleta e preparo dos solos. Preparo da tinta com cola branca. Preparo da superfície para receber a pintura e aplicação da tinta em um painel, com os participantes.

Hospedagem Solidária e Alojamento – Levando em consideração que a rede hoteleira de Rio do Campo e dos municípios vizinhos não é suficiente para atender a demanda do Seminário, criou-se uma mobilização para oferecer alojamentos para grupos e hospedagem solidária em casas de famílias.

Os interessados em acomodações no município deverão confirmar a inscrição e entrar em contato com a Secretaria de Agricultura de Rio do Campo pelo telefone (47) 3564-8108 ou 3564-8107 (João Marcos, Marilu ou Alexandre).

Sobre Rio do Campo – Conhecido por ser o município onde fica a nascente do Rio Itajaí, é chamado, também, por ‘Nascente do Vale’. Suas belezas naturais, belas paisagens e lindas cachoeiras são os cartões-postais do município. São destaques o Salto Rio do Oeste, Morro de São Roque, Cânion da Prata, entre outros.

O principal acesso a Rio do Campo se dá através da SC-427, que liga o município com Taió e a BR-470, em Pouso Redondo. Até a capital, Florianópolis, são 280km.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui