O ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro, Abraham Weintraub, lançou nesta terça-feira 8, programa nos moldes do Pronatec, instituído pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2011. O programa transferia recursos para as universidades privadas para que elas oferecessem cursos técnicos a alunos da rede pública. Na campanha, Bolsonaro criticou o Pronatec. Já no início do governo, o Ministério da Educação (MEC) chegou a anunciar a “Lava Jato da Educação” sobre supostos desvios no programa.

De acordo com o Estadão, o lobby das instituições particulares é forte no MEC. Weintraub vem acenando para as universidades privadas, que não gostaram do fim do Pronatec, em 2016 – o governo Temer esvaziou completamente o projeto.

Sem projetos para a área, Weintraub deve retomar a iniciativa, agora chamada de Novos Caminhos, também fazendo parcerias com universidades e faculdades privadas. O Pronatec oferecia ainda bolsas por meio do Sistema S, algo que o governo federal também estuda.

Na semana passada, o ministro declarou que o Enade deveria punir o aluno que não se sai bem na prova – uma perversidade defendida pelos empresários há anos, já que a nota serve apenas para avaliar a instituição. O ministério também chegou a mencionar, sem detalhes, que pretendia aproveitar a estrutura das faculdades, como laboratórios e salas de informática, para alunos do ensino médio.

Com informações do Blog da Renata Cafardo (Estadão)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui