Com foco na educação tecnológica, SESI e SENAI abrem matrículas para 2020

Proposta das entidades na educação básica (infantil, fundamental e médio) segue a abordagem STEAM, sigla em inglês para ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática

0
270
Entidades integram a maior rede privada de educação básica do Brasil (Foto: Filipe Scotti)

De olho na formação tecnológica dos estudantes, a rede SESI SENAI amplia em 2020 a oferta de ensino focada na abordagem STEAM, sigla em inglês ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática. A inclusão de conteúdos alinhados às novas tecnologias prepara os estudantes para um mundo cada vez mais disruptivo.

 “Queremos nos próximos anos fortalecer a educação básica e ampliar a oferta do ensino fundamental para entregar uma solução completa em educação. Também estamos em constante transformação para que novas tecnologias e abordagens cheguem aos nossos estudantes”, explica o diretor de educação do SESI e SENAI, Claudemir Bonatto. 

Ensino fundamental – A partir de 2020, Lages e Videira, que já oferecem educação infantil, passam a contar com o ensino fundamental nas escolas SESI SENAI. A implantação das turmas será gradativa, iniciando pelas turmas de primeiro e segundo ano.  

Ensino médio integrado – O ensino médio SESI SENAI também amplia a oferta na modalidade ‘integrado’, que consiste em cursar o ensino médio, com escolha de um itinerário formativo que pode ser tanto técnico quanto tecnológico (STEAM), em um único turno. Já no contraturno escolar, o estudante pode participar de atividades extracurriculares nas áreas de tecnologia, robótica, matemática, games, comunicação, mídias e esportes.

Abordagem STEAM – Entre os recursos que poderão ser usados na rede SESI SENAI estão os Espaços de Educação Maker, oferecidos em Blumenau, Joaçaba, Pinhalzinho, São José do Cedro, Xanxerê, Joinville, Lages, Rio do Sul, Ibirama, Indaial, Palhoça, São Bento do Sul e Florianópolis; e 12 salas de matemática que associam práticas educacionais a recursos tecnológicos, como games online, e ensinam a disciplina de uma maneira mais leve e divertida. 

No espaço maker, os estudantes têm acesso a equipamentos diversos, dos mais simples aos mais sofisticados, como placas eletrônicas, arduinos, raspberry pi, impressoras 3D e drones. A metodologia atende a demanda do setor industrial por profissionais cada vez mais capacitados para solucionar problemas.

A robótica é outro recurso que mantém o interesse dos alunos pela sala de aula. Especialistas apontam que compreender a linguagem de programação é tão importante quanto uma língua estrangeira. Cada dia mais tarefas cotidianas, como pegar um transporte, estão sendo atualizados por mecanismos de robótica. 

Confira as modalidades oferecidas em cada cidade:

Ensino Médio:

Blumenau

Brusque

Chapecó

Concórdia

Criciúma

Florianópolis

Itajaí

Jaraguá do Sul

Joinville

Lages

São Miguel do Oeste

Tijucas

Tubarão

Ensino fundamental:

Brusque

Criciúma

Lages (NOVO, 1º e 2º ano)

RIO DO SUL (ATÉ 7º ANO)

São Bento do Sul (até 2º ano)

Videira (NOVO, 1º e 2º ano)

Educação Infantil:

Brusque

Criciúma

Joinville

Lages

Orleans

RIO DO SUL

São Bento do Sul

Videira

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui