Tecnologias estão desburocratizando e democratizando o acesso ao crédito e a outros serviços de forma segura (Foto: Divulgação)

O Global FinTech Adoption Index 2019, relatório feito com mais de 27 mil consumidores no mundo, mostrou que 64% deles já usam serviços de fintechs. O mercado está avançando ao passo que estas empresas ampliam seu lugar como alternativa a bancos. Elas estão desburocratizando e democratizando o acesso ao crédito e a outros serviços de forma segura. 

No Brasil, pessoas físicas, MEIs e pequenos empresários veem nas fintechs aliadas na hora de conseguir crédito. Para se ter uma ideia, mais de um terço dos micro e pequenos empresários no Brasil dizem sentir dificuldade pelas altas taxas de juros cobradas pelos bancos. Além disso, 54% da população no mundo não consegue abrir uma conta bancária por viver em situação de exclusão, segundo o relatório Fintech na América Latina 2018: Crescimento e Consolidação, divulgado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). 

Crédito facilitado 

Foi esta demanda por crédito que motivou a empresa de Joinville Asaas a investir na compra de recebíveis por Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs), pensando principalmente nos clientes que geram boleto pela plataforma. Segundo Piero Contezini, CEO do Asaas, pelo FIDC, é possível antecipar até R$ 150 milhões mensalmente, o que possibilita maior capital de giro para os pequenos negócios. As taxas cobradas na antecipação de recebíveis são mais baratas que outras modalidades de crédito. “A tecnologia está descentralizando o comando financeiro dos bancos e quem ganha com isso são os pequenos. Na situação atual da economia, permitir o crescimento destes empresários é essencial”, completa Piero.

Aluguel mais fácil

Além da tecnologia mais acessível, o crescimento das fintechs se deve a outro fator: os algoritmos são mais democráticos na hora de aprovar a contratação dos serviços como o aluguel de imóveis residenciais, por exemplo. Em breve, pessoas físicas usarão a tecnologia para conseguir garantia e locar uma casa após apenas uma visita. A CredPago, empresa também de Joinville que oferece tecnologia para corretores, imobiliárias e inquilinos, lança em agosto a análise instantânea do cadastro dos locatários de forma 100% digital. “Esta solução vai desburocratizar e tornar mais democrática a locação de imóveis em todo o Brasil. O sistema dispensa fiador e tem taxas mais baixas do que as cobradas por seguradoras”, explica Fábio Cruz, CTO da CredPago. 

Segurança em documentos

 “Como muita gente já percebeu, papéis, assinaturas e carimbos físicos já não são mais imprescindíveis e as instituições que continuam fazendo exigências burocráticas desse tipo tendem a ver crescer o churn, as críticas e o grau de afastamento do público”, conta Carlos Roberto De Rolt, professor da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e fundador da BRy Tecnologia, de Florianópolis, — que tem entre seus propósitos desburocratizar e tornar operações e negociações digitais mais seguras. Segundo De Rolt, dados de contexto como logs, biometrias, fotos, assinaturas eletrônicas, localização e outros elementos são coletados e armazenados com o uso de processos criptográficos para garantir a integridade e atuar como âncora temporal das operações realizadas em meio digital. “Nestas operações existem diversas formas de se aplicar a assinatura digital, assinatura eletrônica, assinatura de contexto e o carimbo do tempo, na dosagem certa, sem atrapalhar a logística, para garantir a segurança e otimizar o tempo tanto do cliente, que quer logo a conta aberta, o cartão de crédito liberado e a operação concluída, quanto da empresa, que quer ver cada vez mais pessoas utilizando seus serviços”, afirma.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui