O evento ocorreu no palco da Feira Multissetorial do Alto Vale do Itajaí, a FERSUL 2019 (Fotos: Julio Cavalheiro/ Secom)

O RotaSC, inovação é nosso combustível, fez mais uma parada. Desta vez, o destino foi Rio do Sul. A proposta pioneira, itinerante e inovadora de levar ações e oportunidades da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) às comunidades avança pelo Estado. Nesta quarta-feira, 14, o evento ocorreu no palco da Feira Multissetorial do Alto Vale do Itajaí, a FERSUL 2019 e que integra o Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras, dos Ministérios das Relações Exteriores e da Economia.

Na oportunidade, o secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Lucas Esmeraldino, reforçou o compromisso do repasse feito pelo governador Carlos Moisés de R$ 2,4 milhões para impulsionar o Centro de Inovação de Rio do Sul, o Parque Universitário Norberto Frahm. “Nosso objetivo é aproveitar as estruturas que já existem e aliar parcerias para investir no ecossistema, ampliando o projeto dos Centros de Inovação no Estado.”

Lucas Esmeraldino reforçou ainda que a inovação está em todos os setores do governo. “Como já ocorre nas nossas instituições vinculadas como a Junta Comercial (Jucesc) e nas ações das diretorias, a inovação é o nosso combustível. O próprio RotaSC é algo inovador”, disse.

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDE, Sandro Yuri Pinheiro, lembrou que Santa Catarina já é vista como referência em inovação, sendo que é o Estado com maior número de startups do país, segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups). “A proposta de ampliar parcerias nos abre inúmeras possibilidades em todas as regiões e cidades. Como por exemplo, Luzerna com cerca de 6 mil habitantes que já tem um Centro de Inovação. Isso nos faz ver como a inovação está acontecendo em vários lugares e de várias formas”, comentou.

O reitor da Unidavi, professor Célio Simão Martignago, que propôs o encontro, falou sobre a importância da integração entre o setor produtivo, a academia e a sociedade. “Foi uma brilhante ideia. A universidade só tem a crescer com esta conexão com a indústria, sociedade e com o governo. Os investimentos no Centro de Inovação de Rio do Sul vão permitir à população um local com as ferramentas necessárias para o desenvolvimento da região”, destacou.

Para o presidente da Associação Empresarial de Rio do Sul (ACIRS), Eduardo Schroeder, o governo, por meio da SDE, mostrou ao cidadão do Alto Vale junto com a entidade a importância desta união em prol do desenvolvimento das regiões.

 Mais ações

O secretário-adjunto do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Amandio Souza Junior, também lembrou que já está tramitando no Instituto do Meio Ambiente (IMA) o projeto de desassoreamento do rio Itajaí-Açu. Engavetado desde 2014, prevê a contenção das cheias e foi resgatado, a pedido da SDE e da Defesa Civil do Estado, por ser uma demanda antiga e necessária da região do Alto Vale do Itajaí.

“Desengavetamos o projeto de desassoreamento de 8.1 km no rio. Vamos investir nesta ação em Rio do Sul. Após a fase de licenciamento pelo IMA, a SDE deve liberar para a execução das obras recursos na ordem de R$ 3,8 milhões. Nosso objetivo agora é focar nas ações já planejadas”, confirmou Amandio.

A diretora de Recursos Hídricos e Saneamento, Jaqueline Isabel de Souza, completou que o Vale do Itajaí sofre historicamente com as inundações e que o Plano Estadual de Recursos Hídricos, o qual prevê ações de mitigações de cheias e Rio do Sul servirá para o melhoramento fluvial da região.

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Holthausen, destacou o papel da instituição no fomento à inovação: “A Fapesc está muito próxima tanto no fomento da tecnologia e da inovação, com o incentivo de eventos. Temos vários programas, como por exemplo, o Sinapse da Inovação, que já completou 10 anos e é uma oportunidade de tirar as ideias do papel.”

 O presidente da Jucesc, Juliano Chiodelli, falou sobre as ações para acelerar o processo de abertura de empresas e fomentar o empreendedorismo. “Estamos mudando a regra do jogo, onde o Estado acredita na palavra do empreendedor, 85% das empresas abertas são de baixo risco sanitário.”

A diretora de Empreendedorismo e Competitividade da SDE, Letícia Duarte Lemos, destacou o programa Juro Zero, voltado para o Microempreendedor Individual (Mei) que só em Rio do Sul já concedeu cerca de R$ 4 milhões em créditos.

A iniciativa da SDE é uma realização da Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs), com apoio da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) e do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi).

Saiba mais em: https://bit.ly/2Mj6J8P

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui