Nova Casa de Apoio do Hospital Regional precisa de colchões

De acordo com a assistente social do Hospital Regional, Beatriz Sardá, é preciso trocar todos os colchões por estarem com a vida útil comprometida

0
143
O uso da casa se dá por intermédio de encaminhamento das assistentes sociais do Hospital Regional (Foto: Débora Cláudio)

A Nova Casa de Apoio funciona há cerca de quatro anos em uma residência na Rua Humaitá, 73, próximo ao hospital. O local hospeda gratuitamente familiares de pacientes, vindos de outras cidades ou estados e que não têm condições de pernoitar em hotéis. Além do Hospital Regional, a casa também recebe familiares de pessoas internadas no Hospital Samária ou com atendimento prolongado na Renal Vida.

De acordo com a assistente social do Hospital Regional, Beatriz Sardá, é preciso trocar todos os colchões por estarem com a vida útil comprometida, assim como o sofá da sala e a máquina de lavar roupas. “A Nova Casa de Apoio foi pensada com todo carinho para receber da melhor maneira as pessoas que acompanham amigos ou familiares em internação no hospital. Muitos que lá ficam não têm boas condições financeiras, então nós fazemos campanhas com o voluntariado do hospital e de outros grupos para arrecadar alimentos, produtos de higiene e limpeza, etc. Mas agora a prioridade é trocar os colchões”, explicou Beatriz.

De junho de 2018 até junho deste ano, 154 pessoas utilizaram o espaço, que conta com 10 camas de solteiro e uma infraestrutura básica para as necessidades diárias. Uma das facilidades oferecidas é a localização próxima ao hospital.

O suporte para manter a casa vem parte da prefeitura (R$ 1200,00 para o aluguel), parte de doadores (pessoas físicas e jurídicas), de voluntários do hospital e de campanhas envolvendo a comunidade. A despesa mensal varia de acordo com o número de hóspedes e os gastos com energia elétrica, água.

O local funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia. A Associação Lar Acolhedor é a entidade que gerencia a estrutura e o atendimento. O uso da casa se dá por intermédio de encaminhamento das assistentes sociais do Hospital Regional. Cada usuário é responsável por sua própria alimentação e por zelar pela limpeza e organização do ambiente.

É comum familiares ficarem hospedados durante meses na casa, enquanto o paciente está em tratamento médico.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui