Prefeitura de Rio do Sul iniciará campanha para aumentar a coleta de lixo reciclável

Quase 500 toneladas de resíduos não tem destino correto, o que ajudaria a reduzir custos ao cidadão

0
6008
Confira o que pode ser reciclado. Dicas abaixo (Imagem Ilustrativa)

Cerca de 40% do lixo domiciliar produzido em Rio do Sul ainda não tem destino correto, já que poderia ser separado para reciclagem. É o que constata a equipe do departamento de meio ambiente da prefeitura, após avaliação com a empresa que presta o serviço de coleta de resíduos disponibilizados pela população.

De acordo com o departamento, são recolhidos em torno de 1,2 mil toneladas de lixo todos os meses em Rio do Sul. Entretanto, a quantidade de papel, plástico, metal ou vidro que vai parar no lixo comum é estimada em 480 toneladas, algo relevante se considerar que atualmente apenas 50 toneladas são encaminhadas para reciclagem.

As 50 toneladas recolhidas pelo caminhão e equipe da coleta seletiva vão para associações que fazem a triagem, limpeza e venda para indústrias de reciclagem. Este volume ajuda a gerar emprego para pelo menos 30 famílias envolvidas nas associações. Se o cidadão fizer a destinação correta do material reciclável, os custos de coleta gerais devem ser reduzidos, assim como ajudar na geração de mais emprego e renda em Rio do Sul.

Diante desta preocupação, a Câmara Técnica de Resíduos Sólidos do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Rio do Sul (COMDEMA) se reuniu na última semana com empresas da área ambiental a fim de ouvir propostas de projetos de educação sobre resíduos sólidos. Tais propostas foram elaboradas a pedido do Departamento de Meio Ambiente, o qual busca aumentar a conscientização da população de Rio do Sul no âmbito da separação de resíduos. Um cronograma de trabalho deve ser divulgado para conscientizar a população desta necessidade.

O engenheiro Sanitarista da prefeitura, Emerson Souza, um dos responsáveis pela busca da implementação dessas ações afirma que é preciso aumentar a conscientização da população a respeito da separação adequada dos resíduos, tendo em vista a grande quantidade de resíduos recicláveis que estão sendo destinados juntamente aos resíduos orgânicos. “O recurso utilizado para a contratação da empresa responsável pela implementação dos projetos de conscientização serão provenientes do fundo municipal do meio ambiente, o qual pode ser destinado para projetos ambientais a serem desenvolvidos no município de Rio do Sul”, destaca. O contribuinte que separa recicláveis pode entrar com um protocolo junto à prefeitura, solicitando desconto de 15% na taxa do lixo que é cobrada junto ao IPTU anualmente. Assim, já fica disponibilizado o cadastro do imóvel para recolhimento semanal.

Como separar o lixo reciclável?

Para separar o lixo, não é necessário acondicionar os materiais em pacotes diferentes. Basta colocar separado do lixo orgânico, como sobras de alimentos, cascas de frutas e legumes ou demais resíduos como o de banheiro. É importante saber em que período da semana a coleta de reciclado passa na sua rua.

Vidros quebrados e outros materiais cortantes devem ter atenção especial pois causam grave risco aos funcionários que recolhem e separam o lixo. Em geral, pode-se colocá-lo em uma caixa fechada e até mesmo com identificação de vidro para evitar acidentes.

O que não vai para o lixo reciclável?

Papel-carbono, etiqueta adesiva, fita crepe, guardanapos, fotografias, filtro de cigarros, papéis sujos, papéis sanitários, copos de papel. Cabos de panela e tomadas. Clipes, grampos, esponjas de aço, canos. Espelhos, cristais, cerâmicas, porcelana. Pilhas e baterias de celular devem ser devolvidas aos fabricantes ou depositadas em coletores específicos.

Materiais recicláveis

Papéis: todos os tipos são recicláveis, inclusive caixas do tipo longa-vida e de papelão. Não recicle papel com material orgânico, como caixas de pizza cheias de gordura, pontas de cigarro, fitas adesivas, fotografias, papéis sanitários e papel-carbono.

Plásticos: 90% do lixo produzido no mundo são à base de plástico. Por isso, esse material merece uma atenção especial. Recicle sacos de supermercados, garrafas de refrigerante (pet), tampinhas e até brinquedos quebrados.

Vidros: quando limpos e secos, todos são recicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros de automóveis ou temperados, cerâmica e porcelana.

Metais: além de todos os tipos de latas de alumínio, é possível reciclar tampinhas, pregos e parafusos. Atenção: clipes, grampos, canos e esponjas de aço devem ficar de fora.

Isopor: Ao contrário do que muita gente pensa, o isopor é reciclável. No entanto, esse processo não é economicamente viável. Por isso, é importante usar o isopor de diversas formas e evitar ao máximo o seu desperdício. Quando tiver que jogar fora, coloque na lata de plásticos. Algumas empresas transformam em matéria-prima para blocos de construção civil.

Curiosidades

– A reciclagem de uma única lata de alumínio economiza energia suficiente para manter uma TV ligada durante três horas.

– Cerca de 100 mil pessoas no Brasil vivem exclusivamente de coletar latas de alumínio e recebem em média três salários-mínimos mensais, segundo a Associação Brasileira do Alumínio.

– Uma tonelada de papel reciclado economiza 10 mil litros de água e evita o corte de 17 árvores adultas.

– Cada 100 toneladas de plástico reciclado economizam 1 tonelada de petróleo.

– Um quilo de vidro quebrado faz 1kg de vidro novo e pode ser infinitamente reciclado.

– O lacre da latinha não vale mais e não deve ser vendido separadamente. As empresas reciclam a lata com ou sem o lacre. Isso porque o anel é pequeno e pode se perder durante o transporte.

– Para produzir 1 tonelada de papel é preciso 100 mil litros de água e 5 mil KW de energia. Para produzir a mesma quantidade de papel reciclado, são usados apenas 2 mil litros de água e 50% da energia.

– Cada 100 toneladas de plástico economizam uma tonelada de petróleo. – Informações: Ministério do Meio Ambiente

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui