Polícia Civil discute soluções para combater a violência contra a mulher em SC

A delegada Patrícia Zimmermann D’Ávila destaca que um dos objetivos da ação é promover uma uniformização do atendimento em todo o Estado

0
938
Delegada Patrícia Zimmermann D’Ávila, coordenadora estadual das Delegacias de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Fotos: Julio Cavalheiro / Secom)

Apesar de Santa Catarina ter conquistado a queda dos principais indicadores de criminalidade neste começo de ano, o avanço da violência contra a mulher persiste e preocupa as autoridades de segurança pública. Para debater formas de combate a esse problema, a Polícia Civil promoveu durante dois dias o “I Seminário de Enfrentamento da Violência contra Mulheres”, que terminou na quarta-feira 29, e contou com palestrantes de instituições como a Organização das Nações Unidas (ONU) e de policiais de outros Estados brasileiros, como o Piauí.

Na visão do delegado-geral da Polícia Civil catarinense, Paulo Koerich, a organização do seminário demonstra que as forças de segurança do Estado estão atentas ao momento. “Queremos deixar claro que a Polícia Civil está agindo para baixar os índices de criminalidade contra a mulher e, com isso em mente, estamos trazendo para dentro da nossa escola representantes de organismos internacionais, com novas técnicas e conhecimentos. Não podemos admitir que ainda hoje a mulher seja objeto de subjugamento”, diz Koerich.

Durante os dois dias do encontro, os participantes refletiram sobre casos como a da auxiliar de logística Jandira Mara dos Santos. Por 18 anos, a moradora de São José, na Grande Florianópolis, foi vítima de maus tratos físicos e psicológicos. Com a ajuda da Polícia Civil, ela conseguiu recuperar a autoestima e hoje ajuda outras mulheres para que não sejam vítimas.

Jandira esteve nos dois dias de seminário na Acadepol, no Bairro de Canasvieiras, e elogiou a atitude da organização. “Esse seminário mostrou que a Polícia Civil está com um olhar diferenciado. Quando nós somos vítimas, temos vergonha de ir na delegacia. Não se sabe como vamos ser recebidas e aqui também é uma forma de capacitação. A Polícia Civil está de parabéns”, aponta Jandira.

Policiais de todo o Estado

A delegada Patrícia Zimmermann D’Ávila, coordenadora estadual das Delegacias de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), foi umas das organizadoras do seminário. Ela frisa que um dos objetivos da ação é promover uma uniformização do atendimento em todo o Estado. Para isso, representantes de todas as DPCAMIs de Santa Catarina vieram à Capital para participar do congresso. “Queremos que esse conteúdo se multiplique pelas delegacias. Seminários como esse nos mostram aquilo que estamos fazendo e no que podemos melhorar”, diz a delegada. Ela complementa ainda que a Polícia Civil realiza reuniões mensais para aferir os resultados do Programa PC Por Elas, lançado ainda em 2018, e que tem foco na proteção das mulheres.

Uma das representas das ONU no evento foi a doutora Moema Dutra Freite, que trabalha no programa para o desenvolvimento da organização, o PNUD. De acordo com ela, a palestra aos policiais teve por objetivo trazer à tona a discussão de uma segurança integrada e cidadã, que atue tanto na prevenção do crime quanto na repressão qualificada, quando for o caso. “Precisamos integrar ao processo outras áreas que elaboram políticas públicas, como saúde, educação e assistência social. Precisamos falar de políticas públicas com base em evidências e é isso que viemos trazer”, conta Moema.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui