Com a popularidade do aplicativo, muitos criminosos se aproveitam para aplicar golpes nos usuários (Imagem Divulgação)

Recentemente, o WhatsApp revelou a existência de uma vulnerabilidade em seus sistemas que permite a hackers vigiarem suas vítimas remotamente. A empresa chegou a liberar uma atualização para corrigir a falha, mas apenas atualizar o aplicativo não evita outros golpes.

Com mais de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo utilizando a ferramenta, o que inclui milhões de usuários brasileiros, criminosos se aproveitam dessa popularidade para faturar. As técnicas de golpes no Whatsapp são inúmeras e vão desde acesso a links de promoções falsas até envio de SMS para um número suspeito.

É possível, por exemplo, convencer uma pessoa a digitar um código no smartphone para redirecionar chamadas para um outro número e assumir o controle do WhatsApp por chamada telefônica. Outro golpe que se tornou comum é o da troca de chip. Com dados pessoais da vítima, os criminosos informam as operadoras que foram roubados e precisam de um novo cartão SIM. Controlando o telefone, pode-se assumir a conta no aplicativo.

“Hoje, uma vulnerabilidade nessa categoria é vendida no mercado por até US$ 4 milhões. Quem compra são governos e agências de espionagem”, comenta Fábio Assolini, analista de segurança da Kaspersky Lab.

“No início, elas são usadas apenas para alvos específicos, para dificultar a detecção. Mas no segundo momento, depois de ser descoberta, cibercriminosos podem fazer engenharia reversa nessa ferramenta para explorá-la em ataques em massa”.

Por isso, a recomendação é seguir o conselho da companhia e atualizar o aplicativo para a versão mais recente. Para isso, basta acessar a Google Play ou a App Store, fazer a busca pelo WhatsApp e clicar em atualizar.

Porém, nem todos os usuários devem estar aptos. Aparelhos mais antigos possuem sistemas operacionais obsoletos, que não são mais compatíveis com o aplicativo. No Android, a versão mínima exigida é a 4.0.3, e no iOS, a versão 8.0 ou posterior.

Como se proteger de golpes no WhatsApp

Para evitar que você se torne mais uma vítima de fraudes aplicadas por meio da ferramenta, há algumas precauções, como a verificação em duas etapas, que faz com que o usuário tenha que colocar uma senha sempre que o aplicativo for instalado, evitando que criminosos acessem sua conta do WhatsApp remotamente.

Para ativar a verificação, vá em “Configurações” > “Conta” > “Confirmação em duas etapas”> “Ativar”. O app irá pedir a criação de uma senha com seis dígitos e uma conta de e-mail válida.

A ESET, empresa de segurança da informação, também divulgou uma lista com oito dicas para sua proteção:

  1. Proteja seus dispositivos com soluções de segurança e mantenha estes aplicativos sempre atualizados.
  2. Desconfie de promoções que não estejam adequadamente publicadas pela empresa que fornece o produto/serviço.
  3. Procure não acessar links suspeitos.
  4. Não cadastre dados pessoais em páginas não confiáveis.
  5. Evite baixar arquivos de fontes não confiáveis.
  6. Tenha muito cuidado ao instalar softwares ou aplicativos de fontes não oficiais.
  7. Não compartilhe arquivos ou links de origem duvidosa.
  8. Mantenha o aplicativo sempre atualizado

Fonte: Tecnologia – iG

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui