Estudantes e professores do IFC de Rio do Sul protestam contra corte de 1,7 milhão de reais

Greve Geral da Educação - Protestos acontecem nos institutos e universidades federais de todo o país, com adesão de escolas públicas e privadas

0
551
Na manhã desta quarta-feira, 15, estudantes da Sede e da Unidade Urbana participaram de rodas de conversa - Poto Paula Civiero

O Instituto Federal Catarinense de Rio do Sul é composto por três unidades. Sede, na Serra Canoas, onde funcionava a antiga Escola Agrotécnica, Unidade Urbana, no Bairro Jardim América e Unidade Tecnológica, no Bairro Progresso. Nessas unidades são oferecidos ensino técnico, de nível médio, ensino superior e pós-graduação para, aproximadamente, 1500 alunos, dos quais, mais de 300 são beneficiados com moradia estudantil, principalmente para filhos de agricultores e estudantes de outras cidades. Mais de 1400 refeições são servidas diariamente. Todos os cursos são oferecidos gratuitamente. Além da qualidade das aulas, pelo nível do quadro docente (umas das melhores instituições de ensino da Região), os estudantes participam de pesquisa científica e tecnológica, viagem técnica, dia de campo. Por meio de parcerias com escolas da Região, os estudantes do IFC trocam experiências e fortalecem todo o sistema educacional do Alto Vale. O Instituto oferece ainda ensino superior noturno, principalmente para trabalhadores de Rio do Sul e Região, que só podem estudar à noite e não precisam mais sair do Alto Vale para estudar.

A representante do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação (Sinasefe), professora do IFC de Rio do Sul, Paula Civiero, questiona como será possível manter as três unidades, para continuar beneficiando a Região com ensino público e de qualidade com o bloqueio de 30% do orçamento (lembra que já estão trabalhando com 50% de necessário para a demanda), com corte de R$ 1.700.000,00 (1,7 milhão)? De acordo com a professora, o corte atinge o custeio de todo os cursos, em todos os níveis, inviabilizando o funcionamento do IFC, com consequências diretas à população.

“Educação é investimento. Somos uma escola e não podemos parar. Educação é prioridade mas o Brasil é um dos países que menos investe em educação. Queremos que o governo federal reveja a decisão de cortes anunciada em abril que vai atingir todas as universidades e institutos federais do Brasil”, salientou Paula.

Atividades de hoje nas unidades do IFC de Rio do Sul

Na manhã desta quarta-feira, 15, houve atividades, como roda de conversa na Sede e na Unidade Urbana. À tarde serão elaborados materiais e às 18 horas haverá concentração na frente da Unidade Urbana, seguida de uma caminhada, contra os cortes orçamentários na Educação e contra a Reforma da Previdência. Duas pautas que também estão sendo abordadas em todo o Brasil.

No IFC de Rio do Sul as atividades são organizadas coletivamente pelo Sinasefe, Grêmio Estudantil e centros acadêmicos.

Paula convida toda a comunidade para participar da concentração na Unidade Urbana do IFC e da caminhada a partir das 18 horas.

O chamamento das entidades no Brasil é amplo. Uma convocação de Greve Geral da Educação, com envolvimento de toda a sociedade.

Estudantes de outras escolas de Rio do Sul também aderiram ao movimento, a exemplo da paralisação parcial da Escola Paulo Cordeiro, na Rua XV de Novembro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui