Cáritas Diocesana realiza oficinas pós-enchente

0
883

Trabalho conta com apoio de agentes de pastorais

A Cáritas Diocesana vem capacitando pessoas e comunidades para a prevenção, convívio e resposta a emergência de desastres e autoproteção em situação de risco.

O trabalho busca capacitar as pessoas para cuidados especiais com a saúde física, emocional e espiritual. Também proporciona a troca de experiências entre agentes e o público presente nas oficinas, socializando as ações do projeto, por meio de três Oficinas de Capacitação de Gestão de Risco e Emergência.

Após a enchente as famílias retornam para suas casas. Os mais pobres são mais vulneráveis à situação que encontram. Saúde, danos materiais, segurança física e vários problemas sociais precisam de atenção.

A primeira Oficina foi realizada no dia 8 de julho, no salão da Igreja da Barragem, com público dos bairros Barragem, Barra do Trombudo e Budag. Canoas, Bela Aliança, Loteamento Luiz Bianquetti, em Rio do Sul, Laurentino, Lontras e Agronômica também fazem parte do roteiro das oficinas.

Socialização das realidades vividas

A primeira oficina inicia com a apresentação das pessoas e oração ecumênica. Os participantes são convidados para socializar o situação que estão vivendo de atingidos pela enchente. As pessoas relatam como foi a enchente, as dificuldades e desafios que estão vivendo. Também respondem a um questionário sobre o que conhecem da realidade do local onde estão vivendo e quais foram as providências tomadas, sejam preventivas ou no pós-enchente, como estão se organizando e quem é chamado para ajudar.

O público relata como utiliza os meios de comunicação e no que isso ajuda. Também pode socializar o que perdeu com a enchente e o que já recuperou e quais são as maiores necessidades no momento.

Mais duas oficinas nessas comunidades

A Entidade ainda realiza mais duas oficinas com o mesmo público que participou da primeira. A segunda oficina aborda a questão da saúde no contexto da enchente e outras catástrofes ambientais. A terceira oficina é para elaborar uma cartilha orientativa em caso de evento catastrófico, com base nas oficinas anteriores.

Esse material orienta os cuidados com a saúde física, emocional e espiritual, a gestão participativa de abrigos, os cuidados e saberes com o retorno, além de disponibilizar um modelo de contrato de responsabilidade nos abrigos, relativos aos pertences, ao prédio, aos horários de repouso e outras formas que cada pessoa e as famílias podem colaborar no processo.

De acordo com a coordenadora da Cáritas Diocesana, Irmã Carmela Panini, as oficinas estão sendo realizadas aos sábados e o número de participantes vem superando as expectativas.

Irmã Carmela Panini abre a primeira Oficina (Foto: Aurio Gislon/JAV Online)
Agentes de pastorais e a Irmã Carmela durante cadastro dos participantes das Oficinas (Foto: Aurio Gislon/FAV Online)