Trabalhadores do Alto Vale do Itajaí bloqueiam a BR-470 em Rio do Sul

0
1147

Em protesto contra o desmonte da Previdência e das leis trabalhistas e por eleições diretas já

Trabalhadores de Rio do Sul e Região, com destaque aos agricultores familiares, organizados pela Federação de Santa Catarina e Sindicatos dos Agricultura Familiar (FETRAF-SC e SINTRAF-AW) e mais uma dezena organizações do Fórum de Entidades do Campo e da Cidade do Alto Vale do Itajaí, trancaram a BR-470, em Rio do Sul, nas proximidades do Parque Municipal. (Confira mais fotos no final da matéria).

Para os dirigentes sindicais da Agricultura Familiar de Alfredo Wagner e da Microrregião do Alto Vale da FETRAF-SC, Marcos Rozar e Eduardo Silveira, o ato atingiu seu objetivo de mostrar a indignação dos trabalhadores contra as reformas trabalhista e previdenciária,  impostas pelo governo Temer, em tramitação no Congresso Nacional.

O Bloqueio da BR foi uma decisão do Fórum das Entidades, que já havia feito outras ações em Rio do Sul. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis (SITITEV), Zeli da Silva, avaliou que não bastava só fazer ato público e passeata. Era preciso algo mais forte para chamar a atenção da sociedade e do governo.

A BR-470 ficou fechada por uma hora, das 11 ao meio dia. Não houve incidente e teve manifestações favoráveis dos caminhoneiros, que também são trabalhadores e sabem que as medidas do governo vão precarizar a vida dos trabalhadores, empobrecendo o conjunto da sociedade.

O deputado estadual, Dirceu Dresch (PT/SC), participou da mobilização na capital do Alto Vale. Conclamou o povo a ir às ruas, “Única forma de impedir o desmonte da Nação brasileira, que hoje está nas mãos de uma quadrilha, entreguista e corrupta”. Em seguida o deputado foi a Joinville participar de protestos na cidade do Norte catarinense.

Deputado Dirceu Dresch participou do ato em Rio do Sul e convocou o povo a ir às ruas protestar contra o desmonte do Brasil (Foto: Otanir Mattiola)

Ao meio dia os agricultores familiares preparam e serviram almoço no Parque Municipal. No cardápio, delicioso carreteiro feito com produtos doados pelos próprios agricultores.

As manifestações em Rio do Sul fazem parte da Greve Geral, chamada pelas centrais sindicais e movimentos sociais e populares, contra as reformas e em defesa de eleições diretas já. Em todos os estados brasileiros foram registradas paralisações e protestos. Nos grandes centros urbanos houve maior adesão.

“Trabalhadores ficam com medo de ir à luta, porque sofrem intimidação de patrões e pressão política no caso dos servidores públicos. Mas quem vem pra luta são trabalhadores que representam centenas de pessoas em suas categorias”, ponderou Marcos Rozar.

A mobilização em Rio do Sul inciou com concentração na Praça Ermembergo Pellizzetti, às 10 horas. Por volta das 10h30 os manifestantes saíram em passeata, passando pela Rua Sete de Setembro, até a BR-470, na alça Oeste do elevado, onde bloquearam a BR.

O Fórum de Entidades do Campo e da Cidade do Alto Vale do Itajaí volta a se reunir na próxima semana para avaliar e planejar próximas ações na Região.

 

Momento da passeata sobre o elevado, em direção a BR-470 (Foto: João Pedro de Oliveira Gislon/JAV Online)
Carreteiro no almoço, no Parque Municipal, oferecido pelos agricultores familiares da Região (Foto: João Pedro de Oliveira Gislon/JAV Online)