Flagrados 120 motoristas que estavam dirigindo sob efeito de álcool

A PRF encerrou à meia-noite do domingo, 18 de junho, a Operação Corpus Christi 2017. Durante os cinco dias de operação, a fiscalização procurou se posicionar nos pontos e horários mais críticos de acidentalidade, ou seja, onde haveria maior probabilidade estatística de ocorrências graves.

Esta estratégia, aliada à maior conscientização dos motoristas, resultou em redução nos índices de acidentes e mortes em comparação à Operação Corpus Christi dos anos anteriores.  Foram registrados 143 acidentes, nos quais 150 pessoas se feriram e sete pessoas perderam a vida. Em comparação a 2016, houve redução de 19% no número de acidentes e redução de 53% no número de óbitos.

Operações anteriores no Corpus Christi

  •               2015  2016  2017   Var. 17/16
  • Acid.        253    178    143        – 19,6%
  • Feridos    146    136    150        +10,2%
  • Mortos     08      13      06          -53,8%

Dentre as seis vítimas fatais, duas aconteceram na Via Expressa (BR 282), duas na BR 280, uma na 101 e uma na 470. Quatro destas pessoas morreram em decorrência de colisões frontais e as outras duas em atropelamentos de pedestre.

Fiscalização intensa

O trabalho de fiscalização da PRF foi intenso: foram abordados 6.833 veículos e extraídos 2.848 autos de infração. Destes, 120 foram para motoristas que estavam dirigindo sob efeito de álcool. Os radares fotográficos registraram 4.960 imagens de veículos acima da velocidade permitida. Um deles passou a 175 km/h na BR 282 em Bom Retiro/SC, local onde a velocidade máxima é de 80 km/h.

Ainda durante a Operação, o combate ao crime apreendeu sete mil comprimidos de ecstasy em Palhoça, recuperou cinco veículos roubados e deteve 33 pessoas por crimes diversos.

Informações: PRF